CidadesGeralGeralMandiritubaMandiritubaMandiritubaSaúdeSua Saúde

Secretaria de Saúde de Mandirituba alerta para vacinação contra o sarampo

A SESA PR – Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, informa a confirmação clínica epidemiológica e laboratorial do 1º caso de sarampo no Estado do Paraná importado de São Paulo, depois de 20 anos sem a ocorrência da doença. Trata-se de uma mulher de 41 anos, não vacinada, residente do município de Campina Grande do Sul, tendo como local de trabalho uma empresa do município de Piraquara e diagnóstico realizado em um hospital de Curitiba. A mesma encontra-se em isolamento domiciliar e os procedimentos de bloqueio vacinal seletivo nas pessoas que tiveram contato com ela foram realizados.

Segundo a Secretária de Saúde de Mandirituba Gizelly Leal de Camargo, “a única forma de prevenção contra o sarampo é a vacina, deste modo, a população deve procurar uma Unidade Básica de Saúde para tomar a dose e aproveitar para colocar a carteira de vacinação em dia”, reforça.

Quem deve tomar a vacina contra o sarampo:

Conforme a nota informativa nº184 de 2019-CGPNI/DEIDT/SVS/MS as crianças de 6 meses a menores de 1 ano de idade residentes ou que vão se deslocar para municípios que se encontram em situação de surto de sarampo devem ser vacinadas com uma dose de tríplice viral. (Definição de surto de sarampo: ocorrência de um caso confirmado laboratorialmente).

A vacinação de rotina contra o sarampo deve ser mantida na população de 1 (um) a 49 anos de idade considerando-se o histórico anterior das vacinas que contenham componente sarampo (dupla viral, tríplice viral ou tetra viral).

Profissionais de saúde devem estar alerta para os sinais e sintomas de sarampo:  Pessoa com febre alta (> 38,5ºC), tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite seguidos de exantema maculopapular de distribuição céfalo-caudal, independentemente da idade e da situação vacinal; ou todo o indivíduo com história de viagem para regiões de risco como o estado de São Paulo nos últimos 30 dias ou de contato com pessoas doentes em locais com circulação do vírus do sarampo no mesmo período. Notificar imediatamente a Secretaria Municipal de Saúde, para que esta realize investigação epidemiológica em 48h e ações de controle do sarampo.

VACINAÇÃO DE ROTINA:

  • Pessoas de 1 a 29 anos: ter o registro de 2 (duas) doses da vacina sarampo, caxumba e rubéola;
  • Pessoas de 30 a 49 anos: ter o registro de 1 (uma) dose da vacina sarampo, caxumba e rubéola;
  • Crianças entre 6 e 11 meses de idade, que residem ou vão se deslocar para áreas com surto ativo de sarampo devem receber 1 dose preferencialmente 15 dias antes da viagem. Esta dose é considerada adicional, tendo que ser realizada outra dose aos 12 meses;
  • Profissionais da saúde devem ter 2 (duas) doses da vacina sarampo, caxumba e rubéola documentadas, independente da idade;
  • CONTRA-INDICAÇÕES DA VACINA: gestantes, imunodeprimidos e crianças menores de 6 meses idade.

Para mais informações consulte a NOTA TÉCNICA Nº 001/2019 – CVE/DAV/SESA-PR referente a ALERTA SOBRE O SARAMPO no site da Secretaria de Estado do Paraná. http://www.saude.pr.gov.br/#

Continuar lendo

Artigos Relacionados

Skip to content