CidadesDestaqueEspecialFazenda Rio GrandeFazenda Rio GrandeFazenda Rio GrandeParanáPolíticaÚltimas Notícias

Realizando encontros com todos os paranaenses, o pré-candidato ao governo do estado, Ratinho Junior, passou por Fazenda Rio Grande na última semana

 

Pré-candidato ao governo do estado pelo PSD, Carlos Roberto Massa Junior, o Ratinho Junior, visitou Fazenda Rio Grande para ouvir ideias e anseios da população e, com isso, montar seu projeto de governo. O encontro, que ocorreu na última terça-feira (13), faz parte de um circuito que o empresário vem fazendo ao longo do último ano, em todo o estado.

A reunião foi realizada no salão do Jockey Club de Fazenda Rio Grande, que ficou lotado. Entre lideranças políticas, se fizeram presentes o prefeito de Fazenda Rio Grande Marcio Wozniack, o prefeito de Rio Negro Milton Paizani, os deputados Ney Leprevost, Mauro Moraes, Delegado Recalcatti e Guto Silva, que intermediou as falas da população. Também se fizeram presentes vereadores de Fazenda Rio Grande, Piraquara, Curitiba e Quitandinha, o ex-prefeito Chico Santos, secretários e outras figuras importantes.

Cerca de 20 pessoas participaram e deram ideias ao plano de governo de Ratinho Junior. Entre essas ideias, foi falado sobre a importância de se olhar para áreas como autismo, endometriose, projetos para adolescentes e jovens, taxa de esgoto, separação e melhor utilização do lixo reciclável, segurança nos ônibus, entre outros assuntos.

Uma das mulheres que falou, Estela, comentou sobre a necessidade da participação da mulher na política. Ela chegou a pedir ao pré-candidato que as coloque em cadeiras do secretariado. Estela foi aplaudida e convidada a sentar ao lado do empresário durante o encontro.

Lideranças políticas que falaram, reafirmaram seu apoio a ao pré-candidato e disseram acreditar em seu trabalho. Falaram ainda de sua competência, honestidade e preparação para estar à frente do estado. Também pediram olhar especial para a região metropolitana, que é de muita importância para o Paraná.

Em sua fala, Ratinho Junior enalteceu a importância do trabalhador para o crescimento do estado e também ressaltou que embora os “atuais” políticos não tenham entregado o que prometeram, ele tem como sua função fazer isso.

Leia mais:

Líderes comunitários recebem menção honrosa na Alep

PSC confirma apoio a Ratinho Junior

Nova política

Em entrevista ao Jornal O Repórter, Ratinho Junior destacou que tem buscado juntar forças de pessoas de bem e que acreditam no Paraná. Nesse sentido, ele tenta ouvir a população, que é quem interessa.

“Tenho feito um plano de governo diferente de todos que até hoje apareceram aí. Muitos pegam meia dúzia de técnicos dentro de uma sala e eles dizem o que é bom para o Paraná. E nada mais que o paranaenses de cada região, de cada cidade, para saber o que é bom pra ele. As pessoas que aqui vivem, elas sabem o que é importante, o que falta na cidade”, disse.

Questionado sobre o dilema do governador Beto Richa em apoiar Cida Borghetti ou ele, o pré-candidato foi diplomático ao dizer que aguarda as decisões políticas. Também comentou que sempre existiram muitas brigas no Paraná entre os políticos e que isso não é positivo, pelo contrário, só trava projetos, investimentos e tudo que é benfeitoria. Para ele, é importante construir alianças com quem quer o bem do estado, fazer pontes, independente de legenda.

Ainda sobre as alianças com Álvaro Dias e o irmão, Osmar Dias, Ratinho seguiu no sentido de que é importante buscar apoios em prol do estado e que, assim como ele, o pré-candidato à Presidência quer o bem do Paraná. A conversa com Álvaro Dias, segundo ele, foi mais com relação a projetos e a importância do governo federal ajudar o estado.

Ratinho ainda disse que se sente na obrigação de trazer o novo. “Esse negócio de ficar falando mal do outro é uma política ultrapassada e eu que faço parte da nova geração não posso fazer aquilo que aqueles políticos que estão há 40 anos aí, estão fazendo. Eu tenho que vir com uma nova proposta, esse é o meu objetivo”, disse, completando que: “É o momento que nós temos de criar uma nova roupagem para o Paraná, uma nova oportunidade pra gente poder pensar o Paraná pros próximos dez, 20, 30 anos”, conclui.

Por: Dayanne Wozhiak

Continuar lendo

Artigos Relacionados

Skip to content