Lingua de Trapo

O Foca está afiado nessa semana!

Em Tijucas do Sul, uma coisa deixou o Foca intrigado. A Polícia Militar se fez presente na sessão para prestar contas do trabalho realizado, o que é de praxe. O Cabo Paulo, que fez uso da Tribuna Cidadã, comentou, entre outras coisas, que a população faz muitas acusações à polícia com relação a propina. Reclamações essas que hoje são feitas mais facilmente nas redes sociais. Nesse sentido, o Cabo fez um apelo para que as pessoas chamem esses de quem eles tanto falam, de corruptos, porque é o que são. Até aí tudo bem.

Mas dando continuidade ao assunto, o vereador Rodrigo Lima explicou à PM que muitos dos moradores da região não tiveram acesso aos estudos e, por isso, não puderam fazer sua carteira de motorista. Os filhos de produtores, muitas vezes com uma história difícil de muito trabalho, precisam se deslocar até outras cidade para ajudar aos pais, mas fazem isso sem o devido registro que não tiveram a oportunidade de fazer. O vereador pediu então, aos policiais, que liberem essas pessoas em blitz etc. Complicado!

O vereador Cláudio Martins também quis comentar o assunto das propinas e disse à população para prestar atenção na cor das boinas dos servidores que se prestam a isso: “acho que não é preta”, disse ele.

E o Foca percebeu, nessa semana, que não é só na Câmara de Fazenda Rio Grande que ao vereadores perdem tempo e alongam a sessão só para parabenizar os colegas pelos projetos, requerimentos e até indicações apresentadas. Lá em Piên não é muito diferente. Não precisa né, vereadores?

Outra coisa que preocupa por lá é a baixa participação popular na Casa Legislativa. Em uma cidade tão politizada, cuja economia é auto-sustentável e a Câmara tem uma estrutura fantástica, é de se estranhar essa falta de interessa da população. Em outras cidades, a participação é bem maior. O que está faltando? Não é hora de estudar o motivo disso e tentar consertar?

Os vereadores de Piên também discutiram, nessa semana, sobre a criação de um Conselho Municipal de Meio Ambiente na cidade. Para eles, é algo muito complicado no que se refere à contratação de pessoal. Seria preciso uma boa análise de quem seriam as pessoas mais adequadas a ocupar os cargos, já que o meio ambiente deve ser conservado, mas a economia também não pode ser parada. O Foca entende e concorda!

Pelas bandas de Mandirituba, o que chamou atenção dos vereadores foi a aquisição de uma caminhonete Toro para o setor de saúde. Segundo o vereador Alex Bora, o veículo caro foi enviado ao município pelo deputado Toninho Wandscheer, mas o que teria que ser analisado é a falta de veículos em outras áreas e a quantidade de carros populares que poderiam ser comprados com o valor da Toro. Fernando Teixeira falou logo em seguida que esteve com o deputado e eles conversaram sobre a necessidade de um carro para transportar pacientes de Areia Branca até Mandirituba. O presidente Guilherme Chupel, explicou, ao final, que a emenda foi pedida na gestão anterior e que seria para a compra de um veículo a diesel mesmo. Caso fossem comprados carros populares, a verba seria perdida. Ou seja, no momento, não há o que fazer!

O vereador João Purungo, de Quitandinha, parabenizou os professores durante a palavra livre. Entre outras coisas, ele foi sábio ao falar: os professores nos dão aquilo que ninguém pode tirar. Nos levam casa, carro, terreno. Mas o ensinamento que recebemos dos mestres, ninguém nos leva!

Aqui em Fazenda Rio Grande, temos um novo delegado atuando. Quem está de volta é o Dr. Erik Wermelinger Busetti. Ele que já passou por aqui, tendo sido delegado por pouco mais de um ano, mostrou um excelente trabalho e esperamos que assim continue de agora em diante. Busetti chegou, há alguns anos, como delegado adjunto, enquanto o titular era o Dr. Sudário, que hoje está aposentado.

Continuar lendo

Artigos Relacionados

Verifique também

Close

Skip to content