Lapa: Parque do Monge reabre para visitação neste sábado

O Parque Estadual do Monge, situado no município da Lapa, volta a receber visitantes neste sábado. (Imagem Denis Ferreira Netto)

AEN PR

O Parque Estadual do Monge, situado no município da Lapa, na Região Metropolitana de Curitiba, volta a receber visitantes neste sábado (20). O local ficou fechado para obras de melhorias a fim de atender às necessidades sanitárias impostas pela pandemia. A reabertura do acontece às 10 horas. O Instituto Água e Terra (IAT), órgão vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, instalou uma nova guarita para recepcionar os turistas e a Prefeitura da Lapa reformou o Centro de Visitantes.

As novas estruturas garantem o cumprimento das normas e orientações estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Secretaria Estadual da Saúde para prevenir o contágio da Covid-19. Outras reformas estão programadas pelo IAT, como a instalação de um circuito de cicloturismo na área interna do parque e a licitação de um novo espaço de cafeteria. De acordo com o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, os parques estaduais do Paraná se mostraram os destinos mais procurados pela população durante a pandemia. “O turismo foi um dos setores mais impactados pela pandemia e durante esses meses trabalhamos para que ele saia fortalecido. Percebemos que o que mais vai crescer no País é o turismo dos grandes negócios da natureza, ligados ao meio ambiente, e o Paraná tem atrativos belíssimos com capacidade para receber turistas locais, nacionais e internacionais”, destacou o secretário.

De acordo com o diretor de Políticas Ambientais e do Patrimônio Natural do Instituto, Rafael Andreguetto, as adequações dos espaços das Unidades de Conservação do Estado estão dentro das políticas públicas previstas no Projeto Parques Paraná. “O programa visa a valorização do desenvolvimento do turismo de forma sustentável nas unidades de conservação abertas à visitação do público. A ideia é valorizar o patrimônio natural do Estado e propor alternativas de desenvolvimento de turismo na sua região de entorno por meio de ações conjuntas entre os órgãos do Governo e parceiros”, disse Andreguetto.

ATRATIVOS – A Gruta do Monge, local de peregrinação religiosa, é uma das principais atrações do parque. Neste espaço viveu por algum tempo o monge João Maria D’Agostinis, que se dedicava ao estudo das plantas da região, medicava enfermos, fazia profecias e orações. Para chegar à gruta o visitante passa por uma escada em pedra que desce até uma fonte de água pura. O parque tem também um mirante com estrutura em concreto, piso em deck de madeira ecológica e guarda-corpo metálico que proporciona ampla visão da cidade da Lapa. Os visitantes também podem admirar a Pedra Partida, originada devido ao desgaste ao longo de milhares de anos. O atrativo é considerado pelos visitantes um local onde é possível ver a imagem do monge João Maria D’Agostinis. Quem gosta de praticar a meditação junto à natureza pode aproveitar o Espaço Monge. O parque abriga ainda espécies da fauna como cachorro-do-mato, lobo-guará, irara, furão, lontra, gato-mourisco, cutia, curicaca, garça-vaqueira, jacuaçu, saracura-do-mato, asa-branca, beija-flor-preto e martim-pescador-pequeno. A flora é formada por erva-mate, pinheiro-do-paraná, gerivá, ipê-roxo, carvalho-brasileiro, canela, canela-branca, imbuia, cedro-branco, cambuí e outros.

REGRAS – Assim como todas as Unidades de Conservação do Estado, o Parque do Monge funcionará de acordo com as regras estabelecidas para evitar a proliferação do coronavírus. Entre elas, estão o agendamento e cadastro do visitante, uso de máscaras, de álcool em gel e o distanciamento social. “São medidas necessárias para evitar o contágio pelo coronavírus e garantir segurança e qualidade para os turistas que desejam visitar os nossos parques estaduais. É fundamental que a população tenha essa consciência e respeite as exigências”, afirmou o diretor-presidente do IAT, Everton Souza.

A reabertura do parque contará com a presença do diretor-presidente do IAT, Everton Souza; do diretor de Saneamento Ambiental do IAT, José Luiz Scroccaro; e do diretor de Políticas Ambientais e do Patrimônio Natural, Rafael Andreguetto.

Veja também...