Agudos do SulAgudos do SulAgudos do SulCidadesDestaquePolítica

Genésio da Luz assume SINDAG SUL, em Agudos do Sul

Após um pouco mais de dois meses da eleição da SINDAG SUL (Sindicato dos Servidos Públicos Municipais de Agudos do Sul), o presidente eleito por unanimidade, Genésio Gonçalves da Luz, assumiu a função. O cargo até então não tinha sido ocupado porque a prefeitura não acatou o pedido, alegando que o mesmo estaria em estágio probatório.

“Teve eleição do sindicato no dia 28 de novembro, o qual fui eleito por unanimidade. No dia 29 nós encaminhamos o pedido para o município e no dia 10 de dezembro, a secretária de administração indeferiu o pedindo dizendo que eu estava em estágio probatório e isso me impossibilitaria de assumir o mandato classista. Recorremos da decisão”, explica Luz.

A resposta da justiça veio no dia 07 de fevereiro, em uma liminar do Dr. Thiago Bertol de Oliveira, Juiz de Direito de Fazenda Rio Grande, o qual demonstra que o presidente está apto assumir o mandato, já que tem comprovado 38 meses e treze dias de efeito exercício no concurso. O estágio probatório é referente há 36 meses.

Genésio Luz, por determinação judicial, assume SINDAG SUL
Foto: O Repórter

+ Vereadores de Agudos do Sul buscam melhorias no abastecimento

+ A nova cara da Câmara de Vereadores de Agudos do Sul

A prefeitura deveria publicar dentro de cinco dias um decreto deixando o sindicato à disposição do presidente: “Isso não aconteceu. Comunicamos novamente no dia 08 de fevereiro a prefeitura, via ofício, informando da decisão, mas até o momento ela não publicou o decreto”, conta. Apesar disso, com a liminar judicial, a SINDAG SUL é, atualmente, comandada por Genésio.

“Como a liminar tem efetividade, ela deve ser cumprida como uma determinação judicial, [então] até que tenha uma nova decisão judicial, um agravo ou alguma coisa assim, eu estou no sindicato com essa liminar. E estou à disposição dos servidores, representando o sindicato”.

O presidente garante que a partir de agora estará trabalhando para garantir os direitos dos servidores e os proteger de toda situação que envolva assédio moral, como desrespeito as licenças, vencimentos e vantagens.

“A nossa função é defender os interesses dos funcionários e fazer valor os direitos”, finaliza.

 

Da Redação
Continuar lendo

Artigos Relacionados

Skip to content