DestaqueFazenda Rio GrandeProcesso Eleitoral

Ezequiel Rodrigues se espelha em prefeito de Colatina para governar FRG

Candidato a prefeito Ezequiel, Serginho e a esposa Perla

Da Redação

O prefeito de Colatina, no Espirito Santo, Sérgio Meneguelli, virou uma espécie de referência de como se administra uma prefeitura, sem onerar os cofres públicos. Trabalha na jardinagem, no serviço de coleta de lixo. Diz Sérgio, que faz isso pois recebe do povo e, tem que, verdadeiramente trabalhar pelo povo. “Fui eleito pela população e é ela que me paga. Ficar numa cadeira, dando ordens, não faz meu estilo e, nas hora que posso, vou para as ruas trabalhar”, destaca. Pela sua forma de administrar a prefeitura e trabalhar nas ruas, muitos políticos já foram até Colatina, conhecer Serginho, como é chamado.

Ezequiel Rodrigues, candidato a prefeito pelo Patriotas em Fazenda Rio Grande, mesmo antes de pensar em disputar a prefeitura local, esteve, em 2018, em Colatina, conversando com Sérgio Meneguelli.  “É uma pessoa simples e exemplo de prefeito. No seu gabinete, é servido café simples, sem mordomias. Estive lá e aprendi muita coisa e que podem ser implementadas na prefeitura de Fazenda Rio Grande. Pretendo administrar como ele”, disse Ezequiel em entrevista no programa Café com o Bala.

Reconhecendo que a população reclama do setor de saúde, com falta de médicos e medicamentos básicos e hospital, Ezequiel, da Coligação Por Amor a Fazenda Rio Grande, disse que uma de suas metas é construir um hospital com 53 leitos e 12 UTIs. “Pelo tamanho de nossa cidade, existe a necessidade de um hospital, com a população recebendo atendimento perto de casa, sem precisar ir para outras cidades. Esta é uma das nossas principais plataformas na prefeitura, claro sem esquecer de investir em setores primordiais, como educação, emprego e segurança”, destaca Ezequiel, que tem como candidato a vice, Heliton Silva.

O que chama a atenção nos planos de Ezequiel, é diminuir o salário do prefeito pela metade. “Sendo prefeito, meu salário, do vice e, dos secretários, serão cortados em 50 por cento em média. O político tem a obrigação de servir o povo e não ganhar um salarião. No nosso governo, grandes despesas serão cortadas pela metade e, os secretários virão dos cargos efetivos. Vou valorizar como sede os funcionários de carreira”, finaliza Ezequiel.

Artigos Relacionados