Lingua de Trapo

Língua de trapo edição 418

Projeto de Lei 016/2019, de autoria dos vereadores Marlon Ferreira, Julinho do Pesque, Dudu Santos e Luiz Sergio Claudino, de Fazenda Rio Grande, proíbe o uso de aparelhos celulares nas escolas. Tudo isso após as ameaças constantes de ataques em estabelecimentos de ensino, cujas ações são combinadas via celular. Bela iniciativa dos senhores edis. Mas, pelo que levantou o Foca, esses massacres são combinados, geralmente, fora da escola. Mas, realmente, o uso de celulares pelos alunos, no pior das hipóteses, atrapalha o andamento das aulas.

O vereador fazendense Serjão deveria consultar um especialista em fonoaudiologia ou, quem sabe, um xarope que melhore a fala. Quando usa o microfone para explicar algum requerimento, sua voz é inaudível. Fica a dica nobre vereador. Esta é a opinião do Foca. Se bem que pode ser um problema do microfone.

Quantas e quantas vezes o Foca ouviu reclamação, de parte de vereadores de Fazenda Rio Grande, acerca de requerimentos endereçados a Arteris, COMEC, Estre e outras empresas, que não respondem requerimentos apresentados pela edilidade. Não querendo azedar a intenção dos edis, pois vai passar ano, virão outros vereadores e os requerimentos a tais empresas, jamais serão respondidos!

O secretário de Saúde de Fazenda Rio Grande, Rejomar Andrade, em uma rede social, denunciou o desaparecimento de duas cadeiras de rodas da UPA. Disse que os servidores da unidade, geralmente confiam nos acompanhantes, mas que isso, agora, vai mudar. Sem precisar o dia, Rejomar afirma que os equipamentos sumiram misteriosamente. Este tipo de “empréstimo”, doravante, será evitado, pois câmeras de monitoramento estão ou foram instaladas na Unidade de Pronto Atendimento.

A vereadora Isabel Baran, apresentou projeto com a intenção de criar a Procuradoria Especial da Mulher. Pelo plano, serão contratadas três advogadas em cargos em comissão, ou seja, sem concurso. Obviamente as doutoras serão indicação da autora do projeto. Num momento de estagnação financeira, onde se exige conter despesas e a vereadora criando novos cargos no Legislativo. Quanto vai ganhar cada procuradora? Será que o projeto chegará ao plenário para votação? Seinão!

Tem uma assessoria de um Legislativo da região, que não informa nada, nem com reza brava. Pede para que seja enviado e-mail para algum tipo de resposta, mas é uma forma de “despistar” o jornalista. Pelo visto, não quer que os vereadores sejam divulgados. É brincanagem!

Belo gesto da prefeita de Quitandinha Maria Julia. Dia desses, uma criança disse à ela (prefeita), que estava com vontade de comer doce de goiaba. Em uma ida a Curitiba, para compromissos oficiais, Maria Julia observou um vendedor de doces e encontrou o doce de goiaba. Comprou dois pacotes e levou para a criança. Belo gesto Maria!

Servidores de Fazenda Rio Grande, estiveram promovendo um manifesto brando, no legislativo da cidade. Dizem que o auxílio saúde, que antes era o auxílio educação, a meses não vem sendo pago. Foram pedir auxílio dos vereadores para que intercedam por eles. Uma professora falou que o auxílio faz falta e que o Chefe do Executivo tem a obrigação de colocar o plano em dia.

A servidora, que não quis se identificar, diz que na prefeitura tem gente que não faz nada e ganha um salário elevado e que, servidores da educação, que além da escola, trabalham em casa, na elaboração das aulas e correção de provas, percebem um salário baixo. É uma baita diferença, na opinião da profe!

Guilherme Chupel, foi convidado pelo prefeito Luis Antonio, de Mandirituba, para comandar a Secretaria de Transportes. O seu lugar é ocupado por Marilia Segalla, que já foi vereadora e ficou suplente na eleição de 2016. Por conhecer a Casa, Marilia, segundo pessoas próximas, pretende realizar um trabalho que resulte em ações voltadas para a comunidade mandiritubense. Sucesso vereadora! Observando: Luis é com s e Antonio sem acento! Boa semana a todos e todas!

Continuar lendo

Artigos Relacionados

Verifique também

Close

Skip to content