CuritibaDestaqueGeral

Crise hídrica faz governo decretar estado de calamidade no PR

Situação de emergência hídrica deve durar por 180 dias

Reservatórios da Sanepar estão secando dia após dia

Da Assessoria

O governo do Paraná decretou, nesta quinta-feira (07) situação de emergência hídrica por 180 dias. O motivo é a forte estiagem que atinge o estado, principalmente na região de Curitiba que passa por constantes rodízios de água, e busca agilizar processos e evitar que a população fique desabastecida de água por longos períodos. A seca, segundo o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), atingiu praticamente todo o estado no mês de abril.

Levantamento do Simepar apontou que Curitiba, por exemplo, está com um déficit de -43,1%, tanto que a capital é a cidade do Paraná que menos teve chuva nos últimos dez meses. A falta chuvas também é alta em Ponta Grossa (-40%), Guarapuava (-47,2%), Foz do Iguaçu (-34,7%), Cascavel (33,8%), Umuarama (-31,1%), Litoral (-22,7%), Maringá (-15%) e para Londrina, também de -15%. No geral, segundo o instituto, existe um índice negativo de aproximadamente 30% no Paraná. “O Paraná atravessa a estiagem mais forte dos últimos 30 anos. O decreto permite ganhar agilidade nas ações por parte do governo. Precisamos da consciência de todos para evitar o desperdício. se todos colaborarem, não falta água pra ninguém”, disse o governador Ratinho Junior. No início de abril, inclusive, a Sanepar emitiu um alerta pedindo para que a população economizasse água.

Continuar lendo

Artigos Relacionados