Cooperativas do Paraná investiram R$ 4,45 bi em 2021

A CooperAliança inaugurou, na última quinta-feira (6), um investimento total de R$ 83 milhões, em Guarapuava Foto: Divulgação

Assessoria Ocepar

Valor abrange obras de melhorias,  aumento de armazenagem e construção de novas fábricas 

O ano de 2021 foi marcado por inúmeros investimentos realizados pelas cooperativas paranaenses. Dados revelados pelo Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar) apontam que, confiantes em suas estratégias de negócios, os aportes investidos chegaram a R$ 4,45 bilhões nesse ano, incremento de 32,8% em relação ao ano anterior. Esses e inúmeros outros fatores contribuíram para que o faturamento alcançado pelo setor cooperativista do Estado registrasse um recorde histórico, de R$ 152,5 bilhões no acumulado do ano.

No caso dos investimentos, boa parte desse volume abrangeu obras de melhorias de infraestrutura, aumento da capacidade de armazenagem, ampliação e construção de novas fábricas no Paraná e nos demais estados onde atuam, seja nos outros estados do Sul ou outras regiões, inclusive em Goiás e Tocantins, por exemplo. Tal aporte demandou da contratação de mão de obra especializada, gerando mais de 7,5 mil novas vagas de emprego. Com isso, o setor encerrou 2021 com 127,7 mil empregos diretos, um aumento de 7,5% se comparado aos números do ano passado.

Quanto ao faturamento recorde de R$ 152,5 bilhões, que cresceu 31,8% na comparação com o registrado em 2020, ele foi impulsionado pelo setor agropecuário, que foi responsável pela movimentação de cerca de 90% desse valor. As sobras (lucro para as cooperativas) também tiveram um crescimento expressivo, chegando a R$ 7,6 bilhões, 27,1% a mais que em 2020. No total, o Paraná possui 58 cooperativas agropecuárias, uma rede organizada composta por mais 190 mil produtores associado, que respondem por cerca de 60% da safra de grãos do estado. 

Além de tudo isso, em 2021, cerca de 220 mil pessoas se associaram a uma das 216 cooperativas registradas no Sistema Ocepar. Com isso, o quadro social avançou 9% em relação a 2020, passando de 2,5 milhões para 2,7 milhões de cooperados. “Nossa responsabilidade cresce a cada ano, à medida que mais pessoas aderem ao cooperativismo, por confiarem na proposta desse modelo de negócio e perceberem que as cooperativas se tornaram uma das melhores maneiras de apoio às suas atividades, com melhoria da renda”, comenta o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken. 

Investimentos anunciados em PG superaram R$ 3,4 bi

O ano de 2021 foi marcado por dois grandes investimentos anunciados por cooperativas agroindustriais em Ponta Grossa. O primeiro deles foi da Maltaria Campos Gerais, fábrica de malte que será construída pelo intercooperativismo da Agrária, Bom Jesus, Capal, Castrolanda, Coopagrícola e Frísia, cujo aporte inicial será de R$ 1,5 bilhão, e atingirá R$ 3 bilhões na segunda fase. A pedra fundamental da obra, que será construída ao lado da UBL da Unium, às margens da PR-151, foi lançada em novembro. Na primeira etapa, a previsão é que a planta produza 240 toneladas de malte por ano, gerando cerca de 3 mil empregos diretos e indiretos. Outro aporte é de três dessas cooperativas, as que compõem a Unium (Capal, Castrolanda e Frísia), neste mesmo local: uma queijaria orçada em R$ 460 milhões, que prevê a produção de 96 toneladas de produtos e subprodutos por dia, com a geração de 66 empregos diretos e cerca de 1.570 indiretos.

Veja também...