Lingua de Trapo

Confusões, reclamações e novidades quentíssimas!

O circo pegou fogo na sessão da Câmara de Vereadores de Fazenda Rio Grande na semana passada. Após a apresentação de um requerimento solicitando um estudo quanto à construção do condomínio Jardim Brasil (bairro Eucaliptos), a vereadora Isabel Baran ficou sem palavras diante da opinião dos colegas, que consideraram o seu requerimento um mero ataque político ao invés da representação de um pedido da população. Um dos vereadores a falar foi o presidente da Casa, Julinho do Pesque, que disse acreditar na transparência do trabalho exercido pelo executivo e pediu até para que todos votassem a favor do ofício, para que ficasse claro que não há nada a esconder.

Dudu Santos não mediu as palavras também ao dizer que a colega muito fala sobre os problemas de saúde do município, mas que até agora ainda não apresentou nenhum projeto para ajudar de alguma forma. Foi categórico ainda ao dizer que, se o secretário de Saúde Rejomar não tivesse tantos documentos da colega para responder, poderia ter mais tempo para trabalhar pelo município. “Fazer cortesia com o chapéu dos outros é coisa do passado”, disse Dudu. Eita!

Quem também levou uma invertida nessa semana, em Fazenda Rio Grande, foi o vereador Irmão José Miranda. Após apresentar um requerimento solicitando envio de ofício ao deputado Gilberto Ribeiro para pedir uma mini-arena para o Parque Verde e academias ao ar livre, ele acabou sendo surpreendido pelo vereador Dudu Santos. O colega disse, com todo respeito, que a mini-arena já havia sido solicitada e estava na secretaria de obras, esperando instalação. Quanto às academias, Dudu lembrou também que a cidade recebeu 7 academias do deputado Francisco Bührer. Mas e aí, vereador, o senhor não conversa com seus colegas? Não lê jornais? Eita!

Na Câmara de Tijucas do Sul, o vereador Patiorna contou uma pessoa havia feito um bolo para arrecadar fundos para o hospital do município, na maior boa vontade. Um dos servidores públicos, porém, não foi feliz ao dizer perto do vereador que aquele dinheiro arrecadado não valeria de nada, se a saúde já receberia uma boa quantia para investir. Criticando o comentário maldoso, Patiorna disse que o servidor devia entender que, em momentos difíceis, toda ajuda deve ser bem vinda.

Mais problemas com o funcionalismo da saúde de Tijucas do Sul. O presidente José Antônio falou que recebeu a denúncia de que uma senhora de 65 anos havia sido maltratada por uma médica do serviço público. Indignado, ele disse que iria investigar a situação e levá-la ao executivo. “Se o profissional não está feliz com seu salário ou condições de trabalho, que vá para outra cidade, mas trate bem os pacientes”, comentou Zé Antonio. Sabemos que muitos funcionários exercem muito bem o seu papel, mas que a coisa está complicada, não podemos negar…

A situação do abastecimento de água no município também foi tema de debate, após apresentação de um projeto do vereador Claudemir. Segundo Maneco, foi feito um estudo técnico sobre a qualidade da água no Matulão e o resultado foi péssimo. O líquido foi considerado impróprio para consumo, com muita contaminação. Uma situação séria e grave que precisa ser levada em conta. O vereador Cláudio complementou, dizendo que acha um absurdo o abastecimento municipal ser planejado apenas considerando-se os poços artesianos, quando um passo maior deveria ser dado.

Quem tem motivos para comemorar é a cidade de Mandirituba. Isso porque saiu, nessa semana, a certidão que permite ao município iniciar obras em prol da população. Com o documento, Mandirituba também fica em dia com a união e pronta para receber recursos públicos que poderão beneficiar os mais diversos setores. Agora sim!

 

Continuar lendo

Artigos Relacionados

Verifique também

Close

Skip to content