Bioconstrução em Quitandinha

Por Keylla Carlin

A Bioconstrução é um meio de construção sustentável, no qual substitui materiais convencionais por materiais sustentáveis, sendo que o principal objetivo dessa técnica é reduzir os impactos ambientais.
Em Quitandinha, a procura por um meio ambiente mais sustentável alcançou Lucas Nathan, psicólogo, que está adquirindo essa ideia de construção alternativa, unindo assim: criatividade, economia e preservação ambiental para sua casa própria. 
A casa está sendo construída dentro do conceito de permacultura, e onde estão sendo aplicadas técnicas da bioconstrução. Seu projeto se iniciou em agosto de 2020, mas tudo começou com uma notícia de um casal de Santa Catarina, onde fizeram uma Bioconstrução, casa de barro, com as próprias mãos. O psicólogo nunca tinha feito algo assim e aprendeu mais sobre essa técnica na internet, no qual participa de um grupo em uma rede social, no qual debate ideias sobre o tema. Além disso, Lucas tem um canal no YouTube, chamado de “ser cósmico”, no qual ele compartilha sua rotina e ideias de sua construção.
Lucas explica que o fator sustentabilidade pesou na hora de construir. “Utilizando essa forma diferente de construir, podemos chamar a atenção das pessoas, para então, sensibilizá-las sobre a preservação do meio ambiente”, salienta ele.
Sua obra está sendo construída em Quitandinha, na localidade do Caí de Baixo.
A técnica usada para a construção da casa será pau a pique, também conhecida como taipa de mão. Entretanto nos ambientes mais úmidos da casa a técnica usada foi alvenaria convencional, mas ele salienta que existem técnicas de bioconstrução que permitem a execução dessas partes, entretanto, por falta de mão de obra especializada e experiência pessoal, acabou optando pela forma tradicional. A estrutura foi feita de eucalipto tratado. 
O telhado foi feito em telha de barro convencional. Já para o tratamento dos resíduos de águas negras a técnica usada será o vermifiltro, que consiste na decomposição dos dejetos humanos com minhocas. 
A construção está sendo feita pelo próprio psicólogo, porém, como ele não tem muita experiência na prática e também em alguns pontos como fundação, estrutura e telhado, contou com a ajuda de seu vizinho, Seu Ademir, um construtor convencional muito experiente. 
Entretanto, a parte bioconstrutiva, ou seja, as paredes de barro feitas de pau a pique, serão construídas por ele mesmo, pois, na região não existem profissionais que atuem na área. Também contou com a ajuda de seu amigo engenheiro, Lucas Ribas para a execução do projeto.
Para Lucas está sendo uma experiência única. “A bioconstrução está sendo uma sala de aula, onde estou aprendendo e desenvolvendo diversas habilidades técnicas, mas além disso, o contato com as pessoas traz valiosos aprendizados de vida e tudo isso traz muita gratificação no processo e sentido para a existência”, finaliza ele.

Veja também...