DestaqueEconomiaMandiritubaÚltimas Notícias

Apuma acrescenta vinhos de qualidade à feira da Casa Própria e do Carro Novo

Associação genuinamente mandiritubense optou por expor seus produtos na Feira realizada no Multieventos, em Fazenda Rio Grande

Vice-presidente da Apuma, Gilmar Antônio Machado, em entrevista ao Canal O Repórter, durante a Feira no Multieventos

Por Léo Souza

A Feira da Casa Própria e do Carro Novo realizada no último final de semana, de 29 de novembro a 1º de dezembro, em Fazenda Rio Grande, não ofertou apenas casas e veículos. A Associação dos Produtores de Uva de Mandirituba (Apuma), situada na Estrada Gilberto Palú, 865, Vila São João, município de Mandirituba, Região Metropolitana de Curitiba (RMC), também expôs os seus produtos no Centro Multieventos. A Apuma reúne doze famílias que atuam na produção local.

Por ser um produto de qualidade produzido nos arredores de Curitiba e atrair um grande público de diferentes classes sociais, o vice-presidente da Apuma, Gilmar Machado, decidiu participar da feira. “Trouxemos para cá todo o nosso vinho colonial, nosso suco integral e outros derivados da uva. Gelei o suco servido para o público”, esclareceu Gilmar Antônio Machado.

Segundo o vice-presidente da Apuma, a Associação trabalha na produção de uvas desde o parreiral, passando pelas etapas das colheitas e do processo até chegar ao vinho. É nos equipamentos da cantina da Associação, que são processados o vinho e o suco integral. O que mais tem saída na produção é o vinho colonial, o vinho da uva bordô, de origem norte-americana, da cidade de Ohio. “Tem vinho bordô seco, o bordô suave. Temos ainda o vinho branco da uva Niágara, suave e o seco. O que mais sai é o vinho suave”, contou o dirigente da Apuma.

Ainda não há um local específico para a comercialização do vinho. A cantina da Apuma está em processo de conclusão das obras, ainda não possuímos atendimento no local. As doze famílias, trabalham diretamente no empenho de todos os processos. “Cada um na sua casa ou nos locais de trabalho, levando os produtos e vendendo lá. Se alguém estiver interessado nós temos o WhatsApp 41984022430 ou nos procure na GM Service Informática, onde a gente trabalha também”, sinalizou Gilmar Antônio Machado.

Descendente de famílias gaúchas, Gilmar deixou a zona rural e foi trabalhar na cidade, onde se estudou, se formou e foi trabalhar na área de informática, mas precisamente no curso da Faculdade da Ciência da Computação.  “O meu nono, que é o meu avô, é do no Rio Grande do Sul. E todos eles daquela família mexiam com uva. E cresci e vim morar na cidade e abandonei o sítio. As condições de vida eram diferentes”, contou.

Mas o coração sempre sentiu a falta de algo que preenchesse o espaço de maneira diferente. Então, com o tempo ele adquiriu um sítio em Mandirituba. Na época, foi desenvolvido todo um preparo no solo e os familiares escolheram trabalhar com aquilo que gostavam que era a uva. “E bem pro fim, desde 2012, eu comecei a dividir, participando da associação (que foi fundada em 2002), sempre utilizando 50% do tempo para a uva e outros 50% para a informática e outras tecnologias aqui da cidade de Mandirituba”, confessou.

Nos dias atuais, o que acontece com a maioria das pessoas que trabalha com tecnologia, com equipamentos, com eletrônica e que mexe com o público, chega um tempo que vem o desgaste, a canseira física e a emocional. Para evitar contrair qualquer tipo de doença, como a depressão, as pessoas recorrerem a outras atividades e faz o que a mais gosta. “Nada melhor que a gente trabalhar com a natureza. Plantar a uva, ver a planta crescer e produzir. Depois de processados, ver os produtos expostos e prontos para o consumo”, concluiu Gilmar Antônio Machado.

Os especialistas na produção de vinho informaram que a Região de Mandirituba é maravilhosa e tem o solo propício para a cultura vinícola. Não é um relevo plano por completo. Tem todas as características do solo como existe no Rio Grande do Sul. “Nas elevações nos temos solos rochosos e arenosos. Tudo isso é benéfico para a produção deste cultivo”, comparou Gilmar.

Nem tudo são flores no manejo desta cultura, segundo Gilmar Antônio Machado, que trata e cuida das plantas como se fossem crianças. Porque a uva, na realidade, tem todo um atrativo para os micro-organismos, as bactérias, os fungos que têm as suas colônias aumentadas no período das chuvas. “Os micro-organismos se proliferam. E é o tempo todos que a gente tem que cuidar da uva. A gente não tem descanso. É como criança mesmo”, concluiu Gilmar.

Gilmar Antônio Machado esclarece sobre a produção de vinho de qualidade em Mandirituba

Clique aqui e assista a esta matéria em vídeo

 

Tags
Continuar lendo

Artigos Relacionados

Skip to content