Como acabar com as enchentes?

 Como acabar com as enchentes?
Compartilhe

Cajuru, Água Verde, Boqueirão e Uberaba. Esses são alguns dos bairros afetados pelas fortes enchentes em Curitiba nos últimos dias. De acordo com a Defesa Civil, nenhuma pessoa ficou desabrigada até o momento. Ainda assim, o transtorno é grande. Pinhais, que sofria com situações similares anos atrás, já não enfrenta alagamentos. E isso se deve ao trabalho de planejamento e obras iniciadas pelo ex-prefeito Luizão Goulart em 2010.

Luizão foi prefeito da cidade entre 2009 e 2017 e tinha esse como um de seus objetivos: acabar com os alagamentos. “A gente conviveu muito com isso em Pinhais. Muitos e muitos anos. Até o momento que tive oportunidade de assumir a Prefeitura e encarar esse problema com seriedade, planejamento e muito investimento para poder, hoje, dar uma tranquilidade para a população”, destaca o professor, que já foi também Deputado Federal.

Ele afirma que esse é um problema que tem que ser resolvido antes das chuvas. Segundo Luizão, assim como havia em Pinhais, Curitiba tem manilhamentos que foram feitos há aproximadamente 30 anos atrás, o que não acompanhou o crescimento populacional do município. “A cidade cresceu, impermeabilizou o solo, e isso deve ser substituído com novas manilhas, pra poder dar vazão às águas”, ressalta.

O ex-prefeito diz que está acompanhando a situação na capital paranaense, que tem sido muito procurado por seu conhecimento no assunto, e lamenta o que os moradores de Curitiba têm enfrentado.

“A pessoa tem diversos tipos de prejuízo. Ela tá lá no serviço, não sabe se vai chegar em casa e ainda vai ter que tirar água de dentro de casa, se vai ter prejuízo com os móveis, com o carro, a rua em condições que não dá pra trafegar…”, comenta, complementando: “Isso não é resolvido de uma hora pra outra. Infelizmente, na hora que acontece a chuva, não tem muito o que fazer.  Isso tem que ser feito com planejamento, [leva] muitos anos, muito investimento e vontade de resolver.”

Moradores do bairro Cajuru queimaram pneus em protesto contra as enchentes na última terça (20)

Modelo estadual

Anos antes da gestão de Luizão, Pinhais era um dos municípios que mais sofria com alagamentos na Grande Curitiba. Isso porque rios como o Bacacheri e Atuba deságuam na cidade. Assim como há três represas de divisa com Piraquara. Hoje, a cidade já não enfrenta essa dificuldade.

Mas foi necessário todo um trabalho de prevenção, por parte do ex-prefeito, para dar fim aos alagamentos por lá. Para ele, duas ações são fundamentais: a primeira é facilitar o escoamento das águas para os rios, com substituição de manilhas e obras nesse sentido; a segunda é o trabalho de afundamento do rio, com a dragagem (remoção de solo) e reconstrução das margens.

Além disso, também é preciso um trabalho social, de ir até as áreas próximas de rios e afluentes e verificar a necessidade de realocar possíveis moradores da região. No espaço onde hoje há o famoso Parcão de Pinhais, um parque especial para quem tem cachorros, existiam famílias vivendo. Por ser nas margens de um rio, Luizão enquanto gestor municipal da época, realocou os moradores para outro espaço, onde há melhores condições de moradia.

Luizão é reconhecido por seu trabalho em Pinhais. Tanto que se reelegeu como prefeito da cidade com 93,7% dos votos em 2012. Na época, seu desempenho virou notícia em todo o País. Seus passos são ainda seguidos através da atual prefeita municipal, Rosa Maria de Jesus, que deu continuidade ao trabalho de Goulart, incluindo a prevenção de alagamentos.

oreporter

Related post

Enviar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Isso vai fechar em 5 segundos