Cidades do litoral têm monitoramento aéreo dia e noite com Projeto Falcão

 Cidades do litoral têm monitoramento aéreo dia e noite com Projeto Falcão
Compartilhe

Aetronaves utilizadas na Operação Verão – foto S

Esta é a primeira temporada que o litoral do Paraná tem à disposição um helicóptero do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA) exclusivo para o monitoramento diurno e noturno das rodovias. A aeronave, do Projeto Falcão, dá apoio à Polícia Rodoviária Estadual (PRE) e no reforço a operações programadas e no policiamento ostensivo e preventivo nos sete municípios da região.

Nos anos anteriores as aeronaves ficavam em solo e só levantavam voo a partir de um chamado. A segunda aeronave utilizada no Verão Maior é conveniada junto a Secretaria de Saúde do Paraná e é utilizada nos resgates em rodovias, buscas, salvamentos aquáticos ou em montanha e na transferência de pacientes graves.

A partir da criação do Projeto Falcão, lançado em agosto deste ano, o número de helicópteros de utilização ostensiva do BPMOA dobrou de duas para quatro. No litoral, entre os dias 16 e 27 de dezembro o projeto Falcão esteve em quatro ações de observação policial e 11 de radiopatrulhamento preventivo e em apoio a viaturas terrestres.

EQUIPAMENTOS – As novas aeronaves incorporadas este ano possuem equipamentos com recursos de ponta como câmeras fotossensíveis e de visão noturna. O farol de busca, por exemplo, auxilia nas atividades noturnas, recurso importante em áreas de pouca luminosidade, comuns na costa do Paraná. Quando necessário, alto falante externo permite a comunicação com clareza com quem está em terra. Os profissionais que trabalham nos helicópteros ficam conectados via rádio com quem está em solo.

O revezamento das equipes, formadas por piloto e copiloto no atendimento 24 horas, cobre os sete municípios do litoral durante a temporada. Com a base em Matinhos, os helicópteros se deslocam com rapidez para qualquer área desta região. Em quatro minutos de voo, os policiais chegam a Guaratuba e em 12 minutos alcançam a Ilha do Mel, um dos locais mais distantes.

MELHORIA – De acordo com o primeiro-tenente Maikon Correa, piloto oficial bombeiro militar, a aeronave veio potencializar o suporte aéreo nas atividades policiais proporcionando maior segurança aos veranistas moradores. “É uma aeronave com maior autonomia e capacidade de patrulhamento em reforço às unidades policiais”, destaca.

Durante toda a temporada o Verão Maior Paraná, extenso calendário de atividades inclui arenas esportivas e grandes shows com artistas nacionais. Por isso, a atividade policial de monitoramento aéreo pode ser determinante para garantir a tranquilidade nestes pontos. “A corporação tem maior liberdade nas operações, seja no patrulhamento, acompanhamento de veículos, busca de indivíduos, monitoramento de estradas e principalmente nos eventos que envolvem grande concentração de pessoas”, afirma Correa.

As outras três aeronaves do BPMOA estão distribuídas pelo estado, com sedes fixas na capital (também disponível para atendimento aeromédico), Londrina e Cascavel, no reforço ao policiamento na tríplice fronteira.

PROJETO FALCÃO – O Governo do Estado investiu R$ 16,7 milhões para a locação das duas aeronaves Robinson 66 monoturbina, com sistema de equipamentos para utilização no serviço policial. Elas contam com painel dianteiro adaptado para operação com óculos de visão noturna (OVN), com todos os dispositivos internos, equipamentos, luzes de cabine e externas compatíveis com o OVN.

Foi instalado o sistema MX-10, que fornece uma imagem térmica de alta resolução e detalhada para ajudar nas operações de vigilância, busca e salvamento, reconhecimento de alvos, controle de fronteiras, rádio patrulhamento policial e outras aplicações. 

Também conta com câmera infravermelha com resolução HD, zoom óptico contínuo com campo de visão mínimo que permite identificar alvos a 4,5 quilômetros, tendo um alcance máximo de até 15 quilômetros, dependendo das condições atmosféricas e do tamanho do objeto.

oreporter

Related post