Professores juntam recicláveis para clínica solidária em Pinhais

 Professores juntam recicláveis para clínica solidária em Pinhais

professoras, professores, solidariedade, colégio don pedro II, curitiba

Compartilhe

Após assistirem uma reportagem elas colocaram a mão na massa e fizeram acontecer.

Professoras do colégio estadual Don Pedro II no bairro Seminário, em Curitiba, ajudam a manter clínica solidária em Pinhais através de arrecadação de recicláveis.

O repórter Márcio Camargo foi até o local na manhã (15) desta sexta-feira para conversar com as responsáveis.

Professores ajudam clínica solidária em Pinhais

Após verem uma reportagem feita pela nossa equipe sobre a história do Francisco há três meses atrás, a professora Carmem Borges tomou a iniciativa para ajudar.

“Tudo que você apresenta no seu programa e você sabe que eu sou seguidora sim e entre tantas reportagens que eu já assisti, esta me chamou muita atenção.

A desse pai, de pegar um capital de giro que ele podia ter utilizado para qualquer outra coisa em seu benefício, mas não. Ele pensou no seu filho e também no filho de outras.

Então, é uma satisfação enorme participar desse projeto né, que ele necessita desses lacres. Coisa simples aí que a gente vê as vezes até jogado na rua e foi muito gratificante envolver professores, alunos, envolver funcionários da escola e também “extra escola”.

Porque a aqui teve professores, pedagogos que levaram essa ideia para os seus condomínios e os condôminos abraçaram essa ideia e trouxeram também a sua contribuição.

Houve alunos, Pedro, que chegavam com um anel da latinha na mão e perguntava:

“Olha, eu achei esse aqui só, esse aqui só, serve?

Um, somado a mais um e mais um e mais um… Se torna, muitos!

Eu tive também a colaboração grandiosa da professora Rafaela que é aqui da escola e da aluna Natalie que levou para os outros alunos a ideia.

Ela também contribuiu bastante.

Então, era gratificante, você chegar pela manhã e alguém com uma sacolinha ou parar você na rua e te entregar isso para o projeto né. Houve um projeto escrito, autorizado né, pela direção da nossa escola que também está fazendo aniversário de 95 anos e esse fechamento do ano letivo para nós tá sendo muito importante.

Porque, além do aniversário da nossa escola, então, os eventos que foram promovidos durante todo o ano, a gente também conseguiu fechar com esse maravilhoso projeto.

Eu quero agradecer a professora Rafaela e tem uns agradecimentos especiais que eu não posso deixar de fazer tá, e a nossa direção escolar, a nossa equipe pedagógica, também contribuiu com o projeto.

A equipe da nossa secretaria, alunos e moradores do condomínio Diplomata, moradores de outros condomínios que a gente não tem como nomear, familiares, também da minha família, agora amigos da nossa rua da Avenida da República, …

– Disse entusiasmada a professora, Carmem Borges.

“Entretanto, o agradecimento maior, segundo a professora, foi ao nosso repórter Márcio, por ter pego a dificuldade de um pai e trazer isso para conhecimento público.”

O entusiasmo da professora foi envolvendo muita gente, e a professora Rafaela que sabe sobre a importância da reciclagem aderiu a ideia rapidamente.

Professores recolhem recicláveis para ajudar projeto social

“Bom dia, eu sou professora de ciências, e a gente acha muito importante a reciclagem, e daí com o projeto que a professora Carmem…

Na verdade, eu já estava recolhendo as tampinhas, eles criaram algumas campanhas lá para arrecadar a tampinha e daí a Carem juntou essa ideia, eu falei:  Não, sensacional!

Porque a ideia é reciclar, né?

Então, a gente joga muita coisa fora e não dá o destino correto, então a ideia Inicial era começar a reciclar para beneficiar outras pessoas, então tudo de maravilhoso.

A aluna Natali também foi uma peça chave para expandir esta ideia, uma menina de apenas 14 anos colaborou bastante com a ideia.

Nossa equipe de reportagem foi até o local para prestigiar a ação destas maravilhosas pessoas que se solidarizaram com a situação da família do Francisco.

E não poderíamos deixar de prestar esta homenagem a elas, pois coisas como estas devem ser noticiadas cada vez mais. Certo?

Caso você não tenha visto a reportagem do Francisco, vou deixar um resumo aqui, agora, para você saber o que moveu todas estas pessoas.

O senhor Pedro Malaquias era gerente de uma empresa metalúrgica em Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba, abriu mão da sua carreira para cuidar do seu filho e de outros filhos …

Francisco, que na época tinha apenas seis anos, precisava fazer tratamento especializado em uma clínica em Colombo.

Por ser muito longe, a distância causava estresse no “Chico” que acabava não tendo bons resultados.

Após passar por várias dificuldades, ele conseguiu, através de uma liminar na justiça, que uma clínica em Pinhas atendesse o seu filho.

Mas, o problema não parou por aí.

Com o passar do tempo a clínica precisou ser fechada e em meio a uma situação complicada, Pedro precisava tomar uma atitude para ajudar o filho.

Conversando com a esposa, eles resolveram comprar a clínica e principalmente, abrir mão de uma vida já estabilizada para viver algo novo.

Compraram a clínica e tiveram muito o que aprender sobre o novo negócio da família…

E hoje, eles ajudam famílias que não possuem condições de pagar tratamento para seus filhos.

Clique no link abaixo, para você ver por completo esta maravilhosa história.

Amor incondicional, pai compra clínica para continuar tratamento de filho especial

oreporter

Related post