Golpistas se passam por médicos e pedem dinheiro a familiares de pacientes do Hospital do Câncer

 Golpistas se passam por médicos e pedem dinheiro a familiares de pacientes do Hospital do Câncer

Entrega de 24 unidades Rurais para famílias de Agudos do Sul.

Compartilhe
Hospital do Câncer de Londrina (PR) — Foto: Reprodução/RPC

Pelo menos três famílias de pacientes do Hospital do Câncer de Londrina, no norte do estado, foram vítimas de um golpe que tem usado o nome da instituição de saúde. Segundo o hospital, os golpistas se passam por médicos para pedir dinheiro aos familiares de quem está internado. Uma das vítimas pagou R$ 3,9 mil aos suspeitos.

RPC teve acesso à ligação feita por um dos golpistas. Veja o que ele disse. “Nós vamos precisar estar submetendo a paciente a uma série de baterias de exames, todas computadorizadas, de última geração. O SUS não se negou a pagar os exames de maneira alguma. Só que pelo fato deles não estarem credenciados ao laboratório, não estarem associados, eles pediram a carência de 48 horas. O valor fica em R$ 3.980, certo? Só que a gente só pode agendar os exames com consentimento de vocês e saber se a família disponibiliza dos valores”.

De acordo com o administrador geral do Hospital do Câncer, Edmilson Garcia, esses pacientes são atendidos por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), ou seja, não há a cobrança particular do tratamento. “Quando o paciente é do SUS, não pedimos nenhum valor. Quando é convênio médico, existem pagamentos por procedimentos, mas tudo isso é tratado pessoalmente, e não por ligação”, explicou.

Como os golpistas se aproximam

Segundo Garcia, os golpistas tentam obter informações de possíveis vítimas de várias maneiras. “Eles ficam, às vezes, até ao redor do hospital tentando fazer uma amizade com as pessoas. Ali eles conseguem o nome, os contatos. Usam do momento de fragilidade dessas famílias que enfrentam o câncer para cometer crimes. Também temos o cuidado, enquanto hospital, de repassar informações para as pessoas certas. Não oferecemos qualquer informação, a não ser para a própria família”.

Conforme o administrador, os suspeitos têm usado a foto de um oncologista que trabalha em Brasília para entrar em contato com as vítimas por meio de um aplicativo de mensagens.

Como se prevenir

De acordo com o Hospital do Câncer, pacientes e familiares que receberem ligações suspeitas e quiserem tirar dúvidas ou obter mais informações podem ligar no telefone (43) 3379-2600.

oreporter

Related post


Isso vai fechar em 5 segundos