Enfermeira de olhar aguçado para o ser humano atua pelo fim da tuberculose no Paraná

 Enfermeira de olhar aguçado para o ser humano atua pelo fim da tuberculose no Paraná
Compartilhe

Juliana Taques escolheu a enfermagem como meio de dar apoio efetivo a quem precisa. Foto: SEAP-PR

A sensibilidade para compreender aflições e angústias das pessoas levou Juliana Taques a escolher a enfermagem como profissão e como meio de dar apoio efetivo a quem precisa. Natural de Tibagi, ela se formou pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), em 2007. “Escolhi a enfermagem porque entendi que se tratava de um curso relacionado ao cuidado integral da pessoa, que exige muita empatia do profissional. Sempre acreditei que tinha esse olhar e me encontrei na profissão”, conta.

Juliana está entre muitos servidores paranaenses que vêm contribuindo para o avanço do Paraná em diversas frentes. Em alusão ao Dia do Servidor, comemorado em 28 de outubro, a Agência de Notícias do Paraná conta a história de alguns desses personagens marcantes, que aprimoram os serviços prestados ao cidadão.

Em 2010, ela prestou concurso público para o Governo do Paraná, foi chamada e atuou por sete anos em uma UTI neonatal. “Ali, tive a certeza da minha escolha. Era o atendimento na ponta, cuidar daquele bebê, mas também da mãe, do pai e de toda a família que ficava fragilizada nesse momento”, relata.

A partir dessa experiência, a enfermeira aguçou ainda mais seu olhar para o atendimento para o ser humano. Quando surgiu a oportunidade de trabalhar na parte administrativa da Secretaria da Saúde (Sesa), encarou como um desafio para continuar impactando os pacientes paranaenses, contribuindo para a gestão com a experiência de quem esteve envolvido no atendimento diário à população.

Atualmente, Juliana atua na Divisão de Doenças Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis da Sesa, como responsável técnica do Plano Estadual pelo Fim da Tuberculose. Juliana e sua equipe têm o desafio de eliminar a doença como um problema de saúde pública até 2030.

No dia a dia, a enfermeira, que escolheu a profissão para cuidar das pessoas, faz a análise de dados em conjunto com as 22 regionais da Saúde, coordenando estratégias e a implementação de programas e ações que são aplicados na ponta. “Hoje trabalho com planilhas, mas meu olhar para o ser humano não mudou. Não vejo apenas números, vejo um pai, uma mãe, uma família, um território inteiro afetado. Sem dúvida, isso nos ajuda a adotar as melhores políticas e ações”, reflete.

ERRADICAÇÃO – O Plano Estadual pelo Fim da Tuberculose aplicado pela Secretaria da Saúde está alinhado com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). Corresponde ao objetivo 3, que visa erradicar a epidemia global de tuberculose até 2035. No entanto, o Paraná pretende alcançar essa meta ainda mais cedo, até 2030.

Em janeiro deste ano, a estratégia adotada pelo Estado foi selecionada como uma das 15 melhores iniciativas do Brasil para a erradicação da doença, de acordo com o ranking divulgado pelo Ministério da Saúde.

“É uma meta ousada, mas que vamos alcançar. Como servidora pública, acredito muito em servir ao Paraná e contribuir para melhorar a vida das pessoas. Foi assim, com muito orgulho, que atuei durante minha passagem no atendimento diário, e continuo fazendo isso, pensando nas pessoas e em ações para elas, até hoje”, celebra afirma Juliana.

oreporter

Related post