Alerta de tempestade; ventos podem ultrapassar 100 km/h em 124 cidades

 Alerta de tempestade; ventos podem ultrapassar 100 km/h em 124 cidades
Spread the love

Temporal com granizo destelhou mais de 800 casas em Faxinal – Foto: Defesa Civil

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu dois alertas de tempestade para o Paraná nesta sexta-feira (27). Um vale para todo o estado e indica perigo em virtude dos temporais. O outro é direcionado a 124 cidades das regiões oeste, sudoeste e centro-sul.

Os temporais começaram na quinta-feira (27), após os alagamentos registrados nas últimas semanas começarem a baixar. As tempestades, com queda de granizo, causaram uma nova série de estragos em diversas regiões do Paraná.

Agora, o alerta de perigo é válido para todo o estado até às 15h de sábado (28). Ele indica que a chuva pode acumular entre 50 e 100 mm por dia, com ventos intensos de 60 a 100 km/h e queda de granizo.

Há risco de corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de árvores e alagamentos em todo o Paraná. Veja, abaixo, dicas de como se proteger.

A partir das 21h desta sexta-feira (27) até às 15h de sábado (28), 124 cidades do estado entram em alerta de “grande perigo” para tempestades. Veja lista abaixo.

Segundo o Inmet, nelas chuva pode ser superior 100 mm por dia e os ventos podem passar de 100 km/h. Também há a possibilidade de queda de granizo.

“Grande risco de danos em edificações, corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de árvores, alagamentos e transtornos no transporte rodoviário”, alerta o Inmet.

Cidades com alerta de ‘grande perigo’ de temporais no Paraná

Cidades com alerta de fortes tempestades — Foto: Reprodução/Inmet

Cidades com alerta de fortes tempestades — Foto: Reprodução/Inmet

  1. Altamira do Paraná
  2. Ampére
  3. Anahy
  4. Assis Chateaubriand
  5. Barracão
  6. Bela Vista da Caroba
  7. Bituruna
  8. Boa Esperança do Iguaçu
  9. Boa Vista da Aparecida
  10. Bom Jesus do Sul
  11. Bom Sucesso do Sul
  12. Braganey
  13. Cafelândia
  14. Campina da Lagoa
  15. Campina do Simão
  16. Campo Bonito
  17. Candói
  18. Cantagalo
  19. Capanema
  20. Capitão Leônidas Marques
  21. Cascavel
  22. Catanduvas
  23. Céu Azul
  24. Chopinzinho
  25. Clevelândia
  26. Corbélia
  27. Coronel Domingos Soares
  28. Coronel Vivida
  29. Cruzeiro do Iguaçu
  30. Cruz Machado
  31. Diamante D’Oeste
  32. Diamante do Sul
  33. Dois Vizinhos
  34. Enéas Marques
  35. Entre Rios do Oeste
  36. Espigão Alto do Iguaçu
  37. Flor da Serra do Sul
  38. Foz do Iguaçu
  39. Foz do Jordão
  40. Francisco Beltrão
  41. General Carneiro
  42. Goioxim
  43. Guaíra
  44. Guaraniaçu
  45. Guarapuava
  46. Honório Serpa
  47. Ibema
  48. Iguatu
  49. Inácio Martins
  50. Iracema do Oeste
  51. Itaipulândia
  52. Itapejara d’Oeste
  53. Jesuítas
  54. Laranjal
  55. Laranjeiras do Sul
  56. Lindoeste
  57. Manfrinópolis
  58. Mangueirinha
  59. Marechal Cândido Rondon
  60. Mariópolis
  61. Maripá
  62. Marmeleiro
  63. Marquinho
  64. Matelândia
  65. Mato Rico
  66. Medianeira
  67. Mercedes
  68. Missal
  69. Nova Aurora
  70. Nova Cantu
  71. Nova Esperança do Sudoeste
  72. Nova Laranjeiras
  73. Nova Prata do Iguaçu
  74. Nova Santa Rosa
  75. Ouro Verde do Oeste
  76. Palmas
  77. Palmital
  78. Palotina
  79. Pato Bragado
  80. Pato Branco
  81. Paula Freitas
  82. Pérola d’Oeste
  83. Pinhal de São Bento
  84. Pinhão
  85. Planalto
  86. Porto Barreiro
  87. Porto Vitória
  88. Pranchita
  89. Quatro Pontes
  90. Quedas do Iguaçu
  91. Ramilândia
  92. Realeza
  93. Renascença
  94. Reserva do Iguaçu
  95. Rio Bonito do Iguaçu
  96. Roncador
  97. Salgado Filho
  98. Salto do Lontra
  99. Santa Helena
  100. Santa Izabel do Oeste
  101. Santa Lúcia
  102. Santa Maria do Oeste
  103. Santa Tereza do Oeste
  104. Santa Terezinha de Itaipu
  105. Santo Antônio do Sudoeste
  106. São João
  107. São Jorge d’Oeste
  108. São José das Palmeiras
  109. São Miguel do Iguaçu
  110. São Pedro do Iguaçu
  111. Saudade do Iguaçu
  112. Serranópolis do Iguaçu
  113. Sulina
  114. Terra Roxa
  115. Toledo
  116. Três Barras do Paraná
  117. Tupãssi
  118. Turvo
  119. Ubiratã
  120. União da Vitória
  121. Vera Cruz do Oeste
  122. Verê
  123. Virmond
  124. Vitorino

Dicas de como se proteger em tempestades

A Defesa Civil do Paraná disponibiliza algumas dicas de como se proteger em temporais. 

  • Procure um abrigo o mais rápido possível, e não saia até que o vendaval pare;
  • Se notar o risco de desabamento do telhado, saia do local e comunique o risco, inclusive às autoridades;
  • Revise a resistência de sua casa, principalmente o madeiramento de apoio do telhado e a amarração das telhas no madeiramento, se tiver;
  • Guarda-chuvas podem atrapalhar o deslocamento, evite utilizar estes materiais ao se locomover em ventos fortes;
  • Não se abrigue embaixo de árvores ou coberturas metálicas frágeis, elas podem cair e causar ferimentos;
  • Se precisar se deslocar, diminua ao máximo seu atrito com o vento;
  • No carro, se possível, estacione o veículo em local seguro e espere o vento forte passar;
  • Se necessário, e possível, entre em uma edificação;
  • Não estacione o carro próximo a torres de transmissão e placas de propagandas;
  • Se não for possível estacionar, diminua a velocidade e procure um local seguro para estacionar assim que possível, pois o vento pode desestabilizar a direção do veículo.

Granizo

  • Permaneça abrigado e não saia até que a chuva de granizo pare;
  • Em hipótese alguma suba em telhados molhados. Os reparos devem ser feitos por pessoal especializado e com segurança para evitar quedas;
  • Se notar o risco de desabamento do telhado, saia do local e comunique o risco, inclusive às autoridades;
  • Fique atento à ocorrência de trovoadas e evite estar sobre ou próximo a estruturas metálicas;
  • Cuidado ao se deslocar, pois o granizo deixa o piso escorregadio, podendo causar quedas;
  • Se possível, estacione o veículo em local seguro e espere a chuva de granizo passar;
  • Não estacione o carro próximo a torres de transmissão e placas de propagandas;
  • Permaneça dentro do veículo até o término da queda de granizo, e, se houver algum papelão no carro, use-o para forrar o para-brisa por dentro, evitando que, em caso de quebra, os cacos possam atingir os ocupantes.

Alagamento

  • Não deixe crianças brincarem nas águas de inundações, alagamento e enxurradas. Além de vários perigos, elas poderão estar contaminadas;
  • Caso perceba que o volume de água está subindo, ameaçando seus bens, ponha-os a salvo, elevando-os. Mas atenção! Somente faça isso se não houver riscos;
  • Se, por algum motivo, ficar ilhado, ligue 193 – Corpo de Bombeiros ou Defesa Civil pelo 199;
  • Proteja-se em locais elevados até a água baixar;
  • Fique atento às informações das rádios;
  • Estando em veículo, se possível, estacione em um local elevado e espere a água baixar;
  • Não fique próximo a caminhões ou ônibus. Veículos de grande porte provocam ondas que podem alagar o seu carro e fazer com que perca o controle da direção;
  • Não pare o carro próximo a árvores ou postes.

Evite atravessar áreas alagadas, só faça isso se for realmente necessário. Se precisar fazê-lo, atente para o seguinte:

  • Não tente atravessar vias com água acima da metade da roda (observe outros carros) e mantenha sempre a rota da rua sem fazer desvios, evitando buracos escondidos na margem;
  • Ande em 1° marcha e devagar sem jamais trocar de marcha dentro d’água, mantendo a aceleração constante, por volta dos 2.500 giros, para evitar que entre água pelo escapamento e o carro apague;
  • Mantenha distância do carro da frente, pois, se o mesmo apagar, você tem a opção de fazer uma rota alternativa;
  • Se o carro morrer, não tente fazê-lo pegar. Solicite ajuda e, se possível, retire-o do local onde está parado, para que a água não entre no veículo causando panes;
  • Se não houver como movê-lo, não espere dentro do carro o volume de água diminuir, pois, na maioria das vezes, a tendência é aumentar e você poderá ficar preso ao veículo, sem poder sair. Veja a maneira mais segura de fazê-lo, se necessário aguarde por socorro sobre o carro;
  • Tente estacionar em regiões mais altas. Se o nível da água atingir o batente inferior da porta é hora de abandonar o veículo. Com água acima das rodas, o carro começa a boiar e fica sem controle. Se alcançar as janelas, ocorre o bloqueio das portas, impedindo a saída e dificultando o resgate;
  • Se não for possível abandoná-lo, chame por socorro (ligue 193 ou 199) e aguarde no teto do veículo.

oreporter

Related post