Servidores do IPEM são presos em flagrante suspeitos de exigirem e receberem propina de posto de gasolina no Paraná, diz polícia

 Servidores do IPEM são presos em flagrante suspeitos de exigirem e receberem propina de posto de gasolina no Paraná, diz polícia
Compartilhe

Servidores foram levados para delegacia em Marechal Cândido Rondon (PR) — Foto: Fábio Dias/EPR

Dois servidores do Instituto de Pesos e Medidas do Paraná (IPEM-PR) foram presos em flagrante pela Polícia Civil logo após fiscalizarem um posto de gasolina em Nova Santa Rosa, no oeste do estado.

De acordo com o delegado Julio Cesar Kruger, da Polícia Civil de Marechal Cândido Rondon, os dois fiscais são suspeitos de cobrarem e receberem R$ 400 em propina do dono do posto para não autuarem o estabelecimento.

As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (25) pela corporação. O IPEM-PR disse ter avisado a polícia da denúncia de corrupção envolvendo os funcionários.

O delegado explica que, segundo denúncias recebidas pela polícia, “os servidores estariam cometendo algumas irregularidades e exigindo valores em troca da não autuarem os postos de gasolina”.

Porém, novas informações ajudaram a polícia a, nesta terça-feira (24), chegar ao posto logo após a fiscalização dos agentes. “A Polícia Civil deslocou até o município de Nova Santa Rosa e pôde abordar esses indivíduos enquanto eles estavam deixando o posto de gasolina e também a gente recebeu informações de que o funcionário do posto, proprietário do posto, havia dispendido, havia entrega entregue os valores que os funcionários haviam solicitado para que não fosse autuado”, explica o delegado.

Os dois servidores foram presos pelo crime de concussão, que é a extorsão praticada por funcionário público em razão do cargo que ocupa.

De acordo com o delegado, os dois foram levados à Delegacia de Polícia de Marechal Cândido Rondon e estão à disposição da Justiça.

IPEM diz ter avisado polícia da denúncia de corrupção

Em vídeo enviado à imprensa, o presidente do Instituto de Pesos e Medidas do Paraná, Cesar Mello, disse que a diretoria técnica do órgão recebeu uma denúncia de corrupção, de pedido de propina, e que imediatamente foi aberto procedimento interno que comprovou a consistência das acusações.

“A partir disso, foi feito contato com o delegado Júlio, de Marechal Cândido Rondon. Ele tomou as medidas necessárias para a apuração, estabelecemos canal de comunicação entre o Ipem e a Polícia Civil. Acompanhamos a atividade dos servidores e, quando eles se deslocaram para a cidade do denunciante, foi feito o alerta à polícia”, explicou o presidente.

Em nota, o IPEM-PR também informou que repudia qualquer ato de corrupção e abuso de autoridade. “Tão logo a Presidência tomou conhecimento das alegações de abuso de autoridade, contatou as instituições competentes na apuração dos fatos, atuando em cooperação com a Polícia Civil que conduziu uma investigação minuciosa que resultou na prisão em flagrante dos envolvidos”, informa a nota.

O IPEM determinou a abertura de um processo administrativo disciplinar para avaliar as ações dos funcionários e solicitaram o afastamento preliminar dos envolvidos.

O órgão reforça que denúncias de irregularidades podem ser enviadas à Ouvidoria.

oreporter

Related post


Isso vai fechar em 5 segundos