Alunos denunciam professor da Unicentro por assédio sexual

 Alunos denunciam professor da Unicentro por assédio sexual
Compartilhe

Segundo denúncia, professor atua no campus Santa Cruz da Universidade Estadual do Centro-Oeste — Foto: Divulgação

Dois alunos da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), em Guarapuava, na região central do Paraná, denunciaram formalmente um professor do Departamento de Comunicação Social (Decs) por assédio sexual. Na segunda-feira (16), a pedido da reitoria, a procuradoria jurídica da universidade determinou o afastamento do professor enquanto uma sindicância apura o caso. O início da investigação depende, agora, da formalização do grupo de trabalho em Diário Oficial. 

g1 Paraná teve acesso ao processo. Além de assédio, a denúncia diz que o professor procurou os alunos para pedir indicação de local para comprar drogas.

Instituição determinou sindicância para apurar o caso na segunda-feira (16) — Foto: Divulgação
Instituição determinou sindicância para apurar o caso na segunda-feira (16) — Foto: Divulgação

O caso chegou à Ouvidoria da Unicentro após os estudantes formalizarem reclamação na Controladoria Geral do Estado (CGE), em 22 de setembro deste ano. Conforme apurou o g1, o professor investigado começou a trabalhar na instituição no primeiro semestre de 2023 e tem remuneração bruta de R$ 9,3 mil.

Ao g1, o professor afirmou saber apenas da portaria que criou a Comissão de Sindicância e que o documento fala de assédio sem citar o nome do denunciado.

O professor disse que não recebeu nenhum comunicado oficial da universidade, que desconhece o teor da denúncia e que, portanto, não tem “elementos para elaborar manifestação”.

Ao ter acesso ao processo, o g1 confirmou que a portaria trata do professor em questão.

‘Crises de ansiedade’

Em um relato extenso, na denúncia os alunos citam situações em que dizem ter sido assediados, presencialmente e nas redes sociais.

Em um dos casos, o estudante conta que o professor o abordou em uma área da universidade e afirmou: “Me disseram para não te falar isso, mas você é o menino mais bonito do departamento”.

Em outra situação, o estudante afirmou que o professor respondeu a uma publicação dele no Instagram dizendo que o jovem “fica bonito de qualquer jeito”.

Com medo de como uma eventual resposta ao professor poderia ser interpretada, o aluno disse que preferiu parar de ir às aulas dele.

“Os comentários direcionados a mim fizeram com que se desencadeasse crises de ansiedade. Por não saber como reagir, e por medo de como uma reação minha pudesse ser recebida pelo professor, decidi parar de frequentar às aulas. […] Confidenciei esses episódios apenas aos amigos mais próximos. A única aula que participei, foi para a apresentação de um seminário, pois não queria que minha falta afetasse minha nota”, denuncia um dos alunos.

Veja abaixo trecho da denúncia à Controladoria:

Denúncias de alunos foram feitas à Controladoria Geral do Estado — Foto: Divulgação
Denúncias de alunos foram feitas à Controladoria Geral do Estado — Foto: Divulgação

Em nota, a Unicentro disse que a instituição, assim como a Comissão nomeada para sindicância, não se manifestará até que os fatos sejam apurados. “Caso constarem a irregularidade por parte do professor, a instituição avaliará se emitirá alguma nota ou se apenas tomará as medidas legais cabíveis”, diz a nota. (Com informações do g1)

oreporter

Related post


Isso vai fechar em 5 segundos