Vereadores de Mandirituba devolvem mais de R$ 800 mil à Prefeitura em 2017

Honrando a palavra dada durante sessão legislativa, vereadores de Mandirituba estão devolvendo o montante de R$ 350 mil à prefeitura. O recurso que estava previsto para a construção da nova Câmara, agora será utilizado em serviços em prol da população.

Já no início do mandato, a câmara enviou ao executivo o montante de R$ 450 mil, utilizados para reforma dos maquinários e compra de coletes para os guardas municipais. O que representa mais segurança e possibilidade de melhorias nas estradas, segundo o presidente do legislativo Guilherme Chuppel. Somando o valor, em um ano, mais de R$ 800 mil foram enviados ao executivo.

“A câmara e a prefeitura são dois poderes separados. O dinheiro de um é diferente do dinheiro do outro. Mas no final, o dinheiro é do povo e temos que administrar bem. Porque administrando bem, sobra”, ponderou Chuppel.

O valor devolvido nesse final de ano, se deve à desistência da construção de uma nova sede. Os vereadores passarão a alugar um espaço a partir do próximo ano, para poder economizar o que gastariam na construção, que estava em torno de R$ 1 milhão.

“É um milhão e pouco que não vamos gastar e vai ficar para o município”, disse Chuppel. Segundo ele, esse recurso ficaria, inclusive, parado. Isso porque não foi criado um fundo para a despesa.

Em geral, a câmara deve devolver ao executivo o dinheiro caso não tenha criado um fundo, mas nesse caso, eles não precisariam, já que a lei que trata do assunto foi alterada para que eles pudessem guardar a quantia. Ainda assim, como o projeto da obra não continuou, eles resolveram devolver o valor.

Leia mais:

Vereadores de Mandirituba anunciam nova sede da câmara, que será alugada

Comitiva de Mandirituba leva projeto para a BR-116 em Brasília

Reservatório com capacidade de 30 mil litros de água vai beneficiar Mandirituba

“A política vive um momento muito conturbado. Mas é gratificante saber que estamos fazendo o bem às pessoas, pelo menos o que podemos fazer. Não estamos pensando em brigas políticas. Muitos poderiam pensar ‘o que o executivo vai fazer com o dinheiro’. Mas nós sabemos que estamos fazendo a nossa parte e esperamos que eles façam a deles também”, acrescentou o presidente.

A ideia é que, assim que seja inaugurada a UPA de Mandirituba, parte do hospital que ficará inativado, funcione como a Casa Legislativa. Uma economia significativa para o município.

Chuppel ainda comentou sobre as câmaras da região que brigam com a população e a prefeitura para dar continuidade a projetos de novas câmaras, com altos custos. Diferente de muitas cidades, ele diz que, com os colegas, deu preferência por ajudar a custear projetos para a sociedade mandiretubense.

Mais conquistas

O vereador Bernardo Palu conseguiu mais recursos para Mandirituba. Por intermédio do secretário municipal de Esporte, Lazer e Juventude de Curitiba, Marcello Richa, o colégio Joaquim de Oliveira Franco recebeu 30 notebooks, um retroprojetor e novos computadores para a secretaria. Equipamentos que somam R$ 100 mil. O Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos (CEEBJA) municipal também foi contemplado com R$ 50 mil, para a reforma de banheiros e a implantação de um laboratório na instituição. Os recursos foram recebidos pelo vereador e os diretores dos colégios, Vilmar Ribeiro e Teresinha Negrele.

Por: Dayanne Wozhiak