CidadesDestaqueEspecialFazenda Rio GrandeFazenda Rio GrandeFazenda Rio GrandePolíciaÚltimas Notícias

UPAlelê! Denúncia de que médico da UPA bateu ponto e desapareceu é discutida na sessão da Câmara de Fazenda Rio Grande

Moradores que precisam de algum tipo de atendimento na UPA – Unidade de Pronto Atendimento de Fazenda Rio Grande reclamam da prestação de serviço no local. Filas, falta de médicos, vagas e demora no atendimento estão entre as reclamações. Se não bastasse isso, denúncia de que tem médico que aparece, marca o ponto e desaparece, reaparecendo apenas ao final da jornada de trabalho, para novamente assinalar que esteve na unidade. Foi o que aconteceu no último dia 26 de fevereiro. O profissional esteve no local, bateu o ponto e desapareceu.

Problema recorrente, as denúncias vêm desde a gestão passada. Pra tentar solucionar o caso, um requerimento foi novamente aprovado no Legislativo. O profissional pego em flagrante por uma câmera seria preso por abandono de trabalho, mas ao que tudo indica, ninguém confirmou a veracidade do fato.

A UPA funciona 24 horas, atendendo a casos de urgência e emergência. Ela foi inaugurada em março de 2014 para substituir os atendimentos que antes eram realizados no Pronto Atendimento, ao lado do Hospital Nossa Senhora Aparecida. Entretanto, apesar de ser uma unidade de média para alta complexidade, esse descaso é frequente.

upa capa

No ano passado, este tipo de situação foi denunciada. São diversos casos de apresentação constante de atestados médicos, ausência de servidores nos plantões e demora no atendimento, principalmente nos plantões noturnos.

O vereador Rafael Campaner, um dos autores do requerimento que pede respostas do Executivo e da Secretaria de Saúde sobre várias situações que vêm acontecendo na UPA, falou na última sessão legislativa sobre sua preocupação com os fatos.

“O médico, no dever de seu cumprimento, não pode abandonar o plantão. Foi um fato isolado ou é corriqueiro na UPA? Se realmente isso aconteceu, o profissional deve sofrer as sanções e se for o caso, exonerado”, sugere Campaner.

Leia mais:

Vereador Campaner sugere pagamento a médicos da UPA por metas

Mais viáveis ao tráfico, os ônibus ainda não são vistos como a melhor opção para os usuários. Entenda

Cidadão tentou coagir prefeito a lhe conceder um cargo e terá que pagar multa por ameaça

Já o vereador Julinho do Pesque, presidente do Legislativo, foi mais contundente. “Temos servidores exemplares na unidade, mas a falta de comprometimento de parte de profissionais (médicos) é inadmissível. Ganham bem e tem que cumprir o plantão ou se não querem trabalhar, que peçam exoneração. Tem médico que ganha R$ 25 mil mensais. É um excelente salário e tem que prestar um bom serviço para os pacientes. Dizer que de dor ninguém morre é um absurdo. Agradeço por todos os vereadores terem assinado o requerimento, o que mostra que estamos unidos. Vamos, juntos, exigir que as providências sejam devidamente tomadas e não vamos tolerar este descaso com os doentes”, cobra Julinho.

O requerimento consumiu grande parte da sessão e todos os vereadores foram unânimes em cobrar providências dos chamados maus profissionais. “O setor de saúde é crítico, mas a população merece respeito”, disse Gilmar Petry, ao pedir providências do Executivo. Uma CPI está em andamento e após conclusão, o documento será protocolado no Ministério Público para as providências.

Na última quinta-feira (8), os vereadores foram até o Conselho Regional de Medicina para cobrar que o órgão faça alguma coisa em relação às denúncias apresentadas, tanto sobre a excessiva apresentação de atestados quando constantes abandonos de plantão. O secretário geral do conselho, Luiz Ernesto Pujol recebeu os vereadores presentes e se comprometeu em colaborar.

“Ficou acertando que o Conselho Regional de Medicina estará acompanhando de perto toda a questão de Fazenda Rio Grande. Eles se colocaram à disposição para vir até a Fazenda para reunião com os demais vereadores e até debater sobre o tema, além de enérgica fiscalização quanto aos profissionais que vêm apresentando essas demandas”, explicou o presidente Julinho.

Continuar lendo

Artigos Relacionados

Close