Agudos do SulAgudos do SulCidadesDestaquePolíticaÚltimas Notícias

Solicitação de empréstimo gera polêmica em Agudos do Sul

Os Poderes Legislativo e Executivo de Agudos do Sul estão em discussão a respeito de um empréstimo a ser realizado pela Prefeitura, no valor de R$ 4 milhões. Na última sessão na Câmara, a secretária de Administração e Finanças Lorena Teixeira foi à Casa explicar o motivo do projeto que agora está em discussão nas Comissões de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) e de Orçamento e Finanças.

A presença da secretária foi a pedido do presidente da Casa Jessé Zoellner, que queria explicações sobre as dívidas da prefeitura de Agudos do Sul, principalmente com fornecedores. Segundo o portal da transparência, as dívidas somam quase R$ 5 milhões.

Entre outras coisas, a secretária Lorena explicou que a cidade tem dívidas de mandatos anteriores para pagar. Também disse que alguns dos empenhos estão para ser cancelados e que pelos menos R$ 2 milhões em recursos a fundo perdido estão bloqueados, mas que verbas do Governo Estadual e Federal devem suprir isso.

Ela explicou ainda que o município tem mais de R$ 2 milhões a pagar aos fornecedores da prefeitura, mas que tudo deve ser pago até janeiro de 2019. Para ela, o importante é que os munícipes não fiquem sem os serviços básicos, como médicos nos postos de saúde, remédios, transporte escolar, merenda etc., o que pode acontecer se o executivo ficar sem dinheiro.

+ Legislativo de Agudos do Sul rejeita projeto que pretende cobrar iluminação na área rural

Segundo o presidente da Casa Jessé Zoellner é importante lembrar que todas as gestões herdaram dívidas e que, mesmo assim, tiveram que pagá-las e manter a prefeitura. Também disse que a atual administração já deixará dívida de quase R$ 2 milhões de empréstimo para fazer uma nova escola e que recebe diariamente comerciantes locais e até fornecedores de outros municípios preocupados com a falta de pagamento. Um dos postos de gasolina informou a ele, inclusive, que havia cortado o abastecimento da prefeitura.

“Os munícipes e fornecedores estão assustados, porque o município já está com dificuldades e querem fazer mais dívidas. Se não tem dinheiro para pagar fornecedores terá para pagar mais um empréstimo na próxima década? Muitos lembram de como a prefeita atual deixou a administração em 2004, com dívidas com fornecedores e um verdadeiro abandono com os bens públicos”, comenta o presidente.

O projeto está em discussão na CCJ, composta pelos vereadores Everson Adolphato, Renato Woiciekovski e Douglas Golox, e na Comissão de Finanças e Orçamento, da qual fazem parte os vereadores Mauro Negreli, Vidal Pruchaki e José Pires de Oliveira. Segundo o presidente Jessé, é preciso aguardar a posição das comissões até a próxima sessão para prosseguir com a tramitação do projeto.

Da redação

Continuar lendo

Artigos Relacionados

Loading...