CidadesDestaqueEspecialFazenda Rio GrandeFazenda Rio GrandeÚltimas Notícias

Sala do empreendedor de Fazenda Rio Grande realiza rodada de negócios

80% das pequenas e microempresas fecham no Brasil. Às vezes, por falta de orientação. Pensando em colaborar com os microempreendedores de Fazenda Rio Grande, a sala do empreendedor do município faz diversas consultorias, treinamentos e encontros. Na última terça-feira (4), a sala organizou uma rodada de negócios com quase 30 microempreendedores individuais (mei).

“O objetivo do encontro é que os microempreendedores pudessem estabelecer uma conexão, uma rede de serviços e informações de interesse entre eles mesmos”, aponta a agente de desenvolvimento Cristiane Chaves. Segundo ela, esses meis precisam dessa rede para se fortalecer.

Entre os serviços prestados na sala do empreendedor, está a aquisição de crédito por meio da Fomento Paraná. De acordo com o agente de desenvolvimento Cleberson, as linhas de crédito são de até 20 mil, em prazos de até 36 parcelas e a quantia pode ser usada para reformas, construção, compra de equipamentos etc.

O Jonathan Balestra é microempreendedor há três anos. Ele morava em Curitiba e, ao se mudar para Fazenda Rio Grande, já veio com a intenção de empreender. Mas como trabalhou a vida toda como empregado, não tinha capital suficiente. Foi aí que soube dos serviços da sala do empreendedor e da Fomento Paraná.

+ Escolas de FRG e Leão Alimentos e Bebidas arrecadam 1,7 mil toneladas de lixo

+ Travesti de Fazenda Rio Grande fala sobre a vida na noite 

“Fiquei sabendo que eles faziam empréstimo pra microempreendedor e fui atrás. E realmente ajuda muito. Como trabalhei a vida toda como empregado, não tinha o capital pra comprar tudo o que precisava, e até hoje não tenho tudo, mas com a ajuda do mei, tá praticamente concluído”, afirma. O Jonatan é mecânico automotivo na Balestra.

Já a Gisele Oliveira trabalha em um ramo inovador. Ela é consultora administrativa e secretária remota. Nisso, o mei se encaixa perfeitamente. Tanto por ela trabalhar de forma individual, quanto por oferecer seus serviços aos microempreendedores como ela, que não podem pagar por um administrador, pra precisam de ajuda nesse sentido.

“Eu só tenho um escritório de contato, não tenho a empresa física. Então o que eu tenho hoje em uma rodada do negócios como essa, é um grande portal de negócios. Porque eu atendo justamente a essas microempresas”, comenta.

Fazenda Compra Aqui

“Muitas das questões que estamos trabalhando hoje com nossos microempreendedores individuais, é que eles podem participar de licitações com a prefeitura ou ramo de atividade que precise de emissão de nota fiscal também”, comenta a diretora de Desenvolvimento Econômico e coordenadora do programa Fazenda Compra Aqui, Carla Bueno Brasil.

Segundo ela, o programa está em atividade há cinco meses e tem como um dos objetivos sensibilizar os pequenos e microempreendedores a participar das licitações. Com isso, o dinheiro gasto pela Prefeitura continua dentro do município.

O Salvador Vidal, que é mei na empesa de dedetização Savior Ambiental está esperançoso com a possibilidade de prestar serviços para a prefeitura. Após realizar cursos por meio da sala do empreendedor, ele já participou de quatro licitações.

“A sala do empreendedor me ajudou muito. Eu fui dar entrada nos processos pra abertura do mei e eles fizeram tudo pra mim, tiraram minhas licenças, os alvarás. Com um mês eu estava com toda a documentação. E agora eu quero expandir muito mais, ainda vou conseguir levar alguma licitação pra minha atividade”, diz.

Por: Dayanne Wozhiak

Continuar lendo

Artigos Relacionados

Loading...