Projeto do 13º salário dos vereadores de Mandirituba é engavetado e denúncia do prefeito, retirada de pauta

Por: Dayanne Wozhiak

Uma das respostas mais esperadas pela população de Mandirituba era como ficaria o 13º dos vereadores. Votado e aprovado pela Casa, o pagamento gerou tumulto por parte da população, que iria até a sessão da semana passada (dia 26) para protestar. Devido ao cancelamento da reunião por motivos maiores, porém, algumas pessoas se fizeram presentes na sessão de terça (3) e aproveitaram o momento para perguntar, enquanto os vereadores falavam, “e o décimo?”.

Respondendo ao questionamento, o presidente da Casa Guilherme Chupel, disse que o assunto seria tratado mais tarde. Na liderança de partido, então, ele usou para palavra para falar, entre outras coisas, da questão do décimo. Ele deixou claro que, embora a Casa tenha aprovado, o projeto ficará “na gaveta” e não seguirá em frente, pelo menos, não no momento.

“O que eu tenho para falar do décimo, como presidente, é que o décimo tá na gaveta, tá parado e eu não vou tirar de lá. Vai ficar parado”, afirmou Chupel, confirmando ainda, que, por sua conta, enquanto ele estiver no mandato, o documento não será enviado ao executivo e, portanto, não será colocado em prática. A menos que um dos vereadores entre com um mandado de segurança solicitando isso, o que, segundo ele, é permitido em lei.

Ele ainda lembrou que está na Câmara todos os dias, das 8h às 17h e está aberto a atender a população. “A câmara de vereadores é a casa do povo, e a casa do povo tem vez e voz”, disse. Mais tarde, ele reafirmou seu compromisso, dizendo que entrou na política para fazer o que é certo, porque ama o município, mas precisa que as pessoas vão até a câmara para conversar sobre as necessidades e eventuais dúvidas, como foi o caso do 13º.

Até segunda ordem, o presidente garantiu: o documento do décimo permanece guardado a gaveta.

Fora de pauta

Na edição 353, o jornal O Repórter publicou uma matéria falando da apresentação de uma denúncia na Câmara Legislativa de Mandirituba, com relação ao prefeito Luis Antonio Biscaia. A denúncia seria apresentada na sessão dessa semana, na terça-feira (3), em que o cidadão pediria também voto e análise dos vereadores para um possível afastamento do prefeito.

A denúncia, porém, não foi apresentada. Após protocolar o pedido, o cidadão não identificado (que faria a denúncia) pediu à Casa para retirar o documento de pauta. Quem falou do assunto foi o vereador Felipe Machado durante a liderança de partido.

Machado falou brevemente sobre o documento, destacando que não sabe o motivo pelo qual a denúncia foi retirada, mas lembrou também que, sim, o atraso na entrega do Plano Plurianual (PPA) e Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) seria motivo de afastamento.

O assunto, porém, não foi levado adiante e o executivo entregou, na mesma sessão, o PPA para análise da Câmara. Assunto encerrado.