GeralSua Saúde

Prevenção é o melhor remédio para evitar as doenças de outono

É um espirro daqui, uma obstrução nasal acolá: quem sofre com as alergias típicas do outono sabe que quando chega essa época do ano os cuidados devem ser redobrados. Segundo a otorrinolaringologista da Otorrinos Curitiba e membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial, Denise Braga Ribas,  manter o ambiente limpo e arejado, hidratar-se constantemente e evitar aglomerações ajudam bastante na prevenção dessas doenças.

“São três orientações fáceis e de ótimo resultado quando se pensa em evitar as doenças do outono”, ressalta.

A especialista também listou outras dicas:

– Cubra o rosto ao tossir ou espirrar;

– Prefira lenços de papel;

– Lave sempre as mãos;

– Use produtos à base de álcool para limpeza das mãos e superfícies de contato direto;

– Evite tocar nos olhos, nariz e boca em ambientes com muitas pessoas;

– Mantenha a vacinação anual em dia;

– Além de manter o ambiente sempre arejado, troque as roupas de cama toda semana e deixe o sol entrar nos quartos e demais cômodos;

– Não fume;

– Mantenha uma alimentação balanceada, rica em frutas, verduras e carnes magras;

– Beba bastante líquido, de preferência água.

Doenças mais comuns no outono

Dentre as doenças mais comuns das vias aéreas superiores durante o outono estão: gripe, resfriado, laringite, rinite e sinusite. De acordo com Denise, a sinusite é, inclusive, um dos dez diagnósticos mais frequentes na clínica médica.

A especialista aproveitou para diferenciar essas cinco doenças que muitas vezes são confundidas entre os pacientes, e lembrou que cerca de 30% da população apresenta algum grau de rinite. “A diferença da rinite para um resfriado comum é que a rinite pode durar semanas e ser recorrente. Já o resfriado é autolimitado, ou seja, tem começo, meio e fim”, lembra.

Confira:

>> Resfriado comum: doença viral da via aérea superior mais comum, causada por mais de 200 tipos de vírus envolvidos, sendo o principal o rinovírus. Os sintomas são brandos, tais como tosse, congestão nasal, coriza, dores no corpo, dor de garganta leve, febre baixa e espirros. Dura de 2 a 4 dias e normalmente é autolimitada.

>> Gripe: causada pelo vírus influenza. Os sintomas iniciam-se entre 2 a 3 dias após o contato e duram, em média, uma semana. Também é uma infecção autolimitada, porém mais sintomática que o resfriado. Mal estar, cansaço e febre alta estão associados. Existe risco de agravamento do quadro e infecção hospitalar. Para alguns tipos de gripe existem vacinas que devem ser realizadas antes do inverno.

>> Rinite: reação inflamatória da mucosa nasal consequente a fatores alérgicos ou não. Os sintomas são: nariz escorrendo, obstrução nasal, espirros, prurido nasal/ ocular/ faríngeo/ otológico. Cerca de 30% da população apresenta algum grau de rinite. A diferença da rinite para um resfriado comum é que a rinite pode durar semanas e ser recorrente. O resfriado é autolimitado. Já comparando com a gripe, os sintomas podem ser parecidos, porém a gripe sempre está associada a sintomas sistêmicos como cansaço, febre, mal-estar e a rinite nem sempre. Além disso, a gripe é, assim como o resfriado, autolimitada.

Sinusite: é um dos 10 diagnósticos mais frequentes na clínica médica, e 0,5 a 5% das IVAS (Infecções das Vias Aéreas Superiores – resfriado, gripe, rinite) são complicados por sinusite. Os sintomas respiratórios persistem por mais de 7 a 10 dias e o uso do antibiótico se faz necessário. Os sintomas típicos da sinusite são: dor e pressão facial, dor de cabeça, febre alta, obstrução nasal, secreção nasal purulenta, tosse, halitose e até mesmo tontura.

Laringite: causada por bactérias, vírus, bebidas geladas ou pela ação de elementos do ambiente, a laringite é a inflamação da laringe – local da garganta onde se encontram as cordas vocais. Não é um quadro altamente doloroso, mas provoca tosse seca constante e grave rouquidão, podendo ocasionar perda temporária da voz. Pode ser um quadro isolado, mas a laringite costuma aparecer como sintoma de outras infecções respiratórias. Seu tratamento é feito com repouso, hidratação e, dependendo do caso, antibióticos.

Não se automedique!

Caso o paciente apresente algum sintoma das IVAS – Infecções das Vias Aéreas Superiores, a dica é procurar um médico especialista. “Nunca se automedique. Procure um otorrinolaringologista, que poderá avaliar corretamente o problema e orientar sobre o melhor tratamento”, finalizou Denise.

Sobre Denise Braga Ribas

Denise Braga Ribas é formada em Medicina pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), com especialização em Otorrinolaringologia no Hospital da Cruz Vermelha – Filial do Paraná. Possui título de especialista em Otorrinolaringologia reconhecido pela Associação Médica Brasileira (AMB), Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facia (ABORL-CCF) e Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR). Realizou Fellowship em Cirurgia Plástica Facial com Dr. Antonio Celso Nunes Nassif Filho – Hospital da Cruz Vermelha – Filial do Paraná e Hospital Sugisawa. É membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial, membro da Associação Brasileira de Cirurgia Plástica Facial e Preceptora de Plástica Facial do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital da Cruz Vermelha – Filial do Paraná.

Sobre a Otorrinos Curitiba

A Otorrinos Curitiba é a mais nova referência no atendimento da área de otorrinolaringologia da capital paranaense. Inaugurada em setembro de 2015 no bairro Mercês, a clínica possui estrutura moderna, excelente localização, tecnologia de ponta e profissionais altamente renomados para oferecer o melhor atendimento aos pacientes.

Em outubro de 2017, foi inaugurado o moderno Centro Cirúrgico, localizado na ala anexa da clínica. Com capacidade para realizar três cirurgias ao mesmo tempo, o Centro Cirúrgico conta com quartos e enfermarias, e oferece total segurança e conforto aos pacientes que necessitarem de procedimentos na área de otorrinolaringologia e demais especialidades.

A Otorrinos Curitiba possui horário de atendimento diferenciado: de segunda a sábado, das 8h às 22h, domingo, das 8h às 19h. Para maior comodidade dos pacientes, possui estacionamento no local.

A clínica atende aos seguintes convênios: Unimed, Amil Assistência Saúde, Bradesco Saúde, Copel, Cassi, Evangélico Saúde, Mediprev, Sanepar, Saúde Caixa, Sinam, SulAmérica e Voam.

Serviço:

Otorrinos Curitiba

Rua Doutor Roberto Barrozo, 1381, 1º andar – Mercês

Telefone: (41) 3335-0302 / 3336-9640 / 3339-4084

Site: www.otorrinoscuritiba.com.br

Facebook: www.facebook.com/OtorrinosCuritibaPR/

 

Continuar lendo

Artigos Relacionados

Close