DestaqueTijucas do Sul

Prefeito Cesar decreta “moratória” em Tijucas

O prefeito de Tijucas do Sul, Cesar Matucheski (PSDB) decretou  moratória nas contas municipais. Isso significa que todas as dívidas, principalmente com fornecedores, serão negociadas e quitadas parceladamente, de acordo com o valor devido. O novo prefeito não sabe informar o prazo, mas afirma que herdou uma dívida de aproximadamente R$ 10 milhões. “Nossa receita se torna pequena diante da dívida deixada pelo ex-gestor”, conta Cesar.

A medida foi anunciada tendo em vista a crise econômica pela qual o município passa desde a gestão passada. O prefeito anunciou que uma equipe especializada ainda está analisando as planilhas. “Até aqui apuramos uma dívida de R$ 10 milhões aproximadamente, sendo que somente com o Fundo Previdenciário o valor é de R$ 2 milhões. Já pagamos R$ 500 mil com o adiantamento do repasse do ICMS que recebemos do governo do Estado no inicio desta semana no valor de R$ 605,00. Este valor nem entrou no caixa”, brincou Cesar. Ele relata que a prefeitura deve para a empresa que faz a coleta de lixo, ao consórcio de saúde, salários de médicos, toda documentação dos carros oficiais está irregular. Enfim, é uma vela para cada santo, mas com austeridade e determinação, vamos honrar todos os compromissos”, conta Cesar. Ele afirma que a maior preocupação da administração é o de saúde.  Apesar disso, serviços essenciais desse setor não foram afetados e a população vem sendo atendida, tanto no hospital como nos postos de saúde. “Temos pendências financeiras com médicos, com o consórcio de saúde, precisamos contratar pessoal com formação para algumas funções. Temos que comprar remédios e insumos, como gaze, esparadrapo e tantas outras coisas essenciais no hospital e postos”

Ele acentua que vai equilibrar as finanças, mas já pensa no setor de educação, cujos professores e servidores voltam às atividades em fevereiro. “Já vislumbramos este setor, considerado importante, pois precisamos dar suporte não só aos educadores e funcionários, como principalmente aos alunos, que merecem boas escolas e transporte escolar de qualidade”. Segundo o prefeito, a frota escolar tem muitos problemas e todos os ônibus precisam estar em condições de uso logo no inicio do calendário escolar. Para que a prefeitura funcione de maneira organizada, o prefeito determinou o enxugamento das despesas com a dispensa de funcionários comissionados e o corte de funções gratificadas, já que a folha de pagamento estava comprometida em 57% da receita, sendo que o permitido por lei é 54%. “Com menos pessoal, vamos fazer uma boa economia e paliativamente, vamos dar inicio ao nosso plano de governo, que visa oferecer melhor qualidade de vida para todos os moradores”, finaliza Cesar Matucheski.

Continuar lendo

Artigos Relacionados

Loading...