CidadesDestaqueEspecialFazenda Rio GrandeFazenda Rio GrandeÚltimas Notícias

Mulheres que prosperaram, contam o segredo do sucesso e os atributos que as mulheres devem usar a seu favor

Vera Szadkoski é uma mulher que nunca desistiu dos sonhos. Trabalhava na área administrativa, era esposa e mãe de três filhos quando resolveu cursar Direito. Um dos filhos, é especial. Na cidade onde morava, a faculdade não existia. Mas quando viu a oportunidade bater, não hesitou.

Desde quando, ela não sabe, mas sempre foi apaixonada pela profissão. E trabalhando na área, acabou criando um carinho especial pelo direito de família. Tanto que todo caso familiar, é mandado diretamente para ela, pelos colegas. Muito disso, ela acredita, pelo perfil de carinho e empatia que as mulheres têm.

“A mulher, queira ou não, ela consegue ouvir mais, tentar se colocar no lugar da parte para tentar entender, e só aí então dar a orientação que julgar mais apropriada para cada caso concreto”, afirma.

Mas não é só o amor um característica marcante na mulher. Vera é exemplo de mulher de fibra, que conseguiu conciliar os sonhos às obrigações familiares. Quem pensa que foi fácil, se engana. A faculdade era particular, então ela tinha que trabalhar para poder pagar a mensalidade e também ajudar em casa.

Para isso, ela investiu no que chama de qualidade de tempo. E é esse o ensinamento que ela tenta passar para os filhos, familiares, amigos e até clientes quando eles dizem que não têm tempo para a família.

“O amor, o carinho, não é quantidade, é qualidade. Então o pouco tempo que eu tinha para estar com os meus filhos, no momento em que eu estudava e até mesmo agora enquanto eu trabalho, eu sempre tenho em mente a qualidade, é privilegiar a qualidade do carinho, da atenção e do tempo que eu dou para as pessoas que me cercam”, conta.

Leia mais:

Upalelê! Denúncia de que médico da UPA bateu ponto e desapareceu é discutida em Fazenda Rio Grande

Mais viáveis ao tráfico, os ônibus ainda não são vistos como a melhor opção para os usuários

– Conheça a história da Ana do papelão, que faz do seu trabalho uma expressão de amor pelo meio ambiente e pelas pessoas

A meta de Vera é continuar advogando, se atualizando sempre para atender às pessoas da melhor forma. Mais do que ajudar juridicamente, ela diz que muitas vezes vê sua função como de orientadora, de buscar soluções práticas e dinâmicas para quem a procura.

Exemplo de que nunca é tarde para ser feliz, ela diz que há tempo para tudo na vida e lembra que é muito frequente que mulheres interrompam seus estudos por uma gravidez, mas que elas não devem desistir dos sonhos. “Nunca é tarde para voltar, para reiniciar os seus desejos, os seus sonhos. Conhecimento não ocupa lugar. Qualquer palestra, curso que temos próximos de nós, na escola que o nosso filho estuda”, diz

“Você não precisa ser uma advogada, uma médica, engenheira, mas se você for uma excelente cozinheira, uma confeiteira maravilhosa, se você for uma diarista fantástica, não vai te faltar emprego, você vai ser feliz e conquistar aquilo que você deseja no âmbito material. Mas o principal de tudo: você, mulher, vai estar feliz consigo mesma e essa sua felicidade, você vai transmitir para os seus filhos, pro seu companheiro, para todos ao seu redor”, complementa.

Endereço do escritório: Rua Espanha, 150, Nações (Fazenda Rio Grande).

Inovação

À frente de uma patente inovadora, Liliane Rocha Miranda Bauermeister sabe que para prosperar, é preciso acreditar. Há três anos, ela fez o que qualquer um chamaria de loucura. Em meio à crise econômica no país, resolveu abrir o próprio negócio, a Alber Química, e numa área completamente restrita, a de produtos de limpeza.

Mas ela não apresentou um produto comum, ela veio com uma proposta diferente. Limpadores à base d’água, com ph 7 (o mesmo da água), nenhum cheiro, nenhuma cor e nenhum risco à saúde ou ao meio ambiente.

O começo foi muito difícil. Ela lembra que foi chamada de louca por muitas pessoas, tanto pelo momento de crise, como pelo setor muito restrito. Dentre as dificuldades, ela comenta que já sofreu preconceito inclusive por ser mulher.

“As pessoas falavam ‘Ah, é isso aí, essa água?’, porque o nosso produto não tem cheiro, não tem cor, nem espuma. Isso causou um impacto muito grande. Porque eles pensavam ‘mas essa água vai limpar?’. Eu acho que esse produto entrou no mercado mais por eu ter credibilidade que aceitação mercadológica”, afirma.

Mas Liliane prosperou. Teve ajuda de muitos parceiros que acreditaram em seu produto também, como a empresa Hübner e a página do Facebook Clube da Alice, que é restrita para mulheres, e onde ela começou a vender. Hoje, além do Paraná, ela também exporta para Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo. Os clientes vão de donas de casa até grandes indústrias e até portos.

E para quem pensa que trabalho duro é só para a classe masculina, Liliane prova que não. Além de estar à frente da empresa, é ela também quem produz os limpadores, juntamente com um químico. Todo esse trabalho teve um custo. Apesar de sempre trabalhar fora, ela diz que a empresa tomou muito de seu tempo e a fez se afastar um pouco de casa. Chegou a perder datas importantes para estar na empresa. Mas garante que sempre foi muito bem compreendida e apoiada pelo marido e pelo filho, de 21 anos.

Ao filho, ela tenta ensinar sobre respeito e sobre como tratar uma mulher. “Desde pequeno eu sempre falei: ‘filho, sempre que você for tratar uma mulher, você olhe pra ela como se fosse alguém tratando a sua mãe’”, diz. Além disso, ela garante que o pai é um ótimo exemplo para ele também.

Na quinta-feira (8), dia Internacional da Mulher, ela recebeu um prêmio como Mulher Empreendedora do Ano em São José dos Pinhais, onde tem uma distribuidora parceira. Emocionada, ela comenta que não esperava que a recompensa viesse tão cedo, mas que está muito orgulhosa da conquista.

A chave para qualquer empreendedor, para Liliane, é acreditar em Deus e nunca desistir dos sonhos, mesmo se as pessoas falarem que não vai dar certo, é preciso ir em frente. “Peque pelo excesso, mas não peque pela omissão. Se eu tivesse escutado várias pessoas, eu não estaria onde eu estou hoje”, reforça.

Os produtos Klin White podem ser encontrados na EcoLimp, em Fazenda Rio Grande. Em Curitiba, no Aviário Franklin, MGL Frutaria e Mercearia, Bremas Varejão, entre outros.

Automotivação

Formada em Direito desde 2008, Renata Letícia Doná administra o próprio escritório em Fazenda Rio Grande, aberto em 2014. O sonho que se concretizou para ela teve como principal agente influenciador, a necessidade de atender o cliente da maneira como acha correta. Entre muito trabalho e um quadro de depressão, ela conseguiu encontrar sua automotivação, que é o que a faz não estar satisfeita com o hoje, mas sempre almejar mais.

Desde abril de 2017, ela é coordenadora na Câmara Setorial de Advogados. E os planos vão além: ela quer investir na política futuramente e ter conquistas também na área social. Renata não acha que veio ao mundo apenas para trabalhar na mesma coisa sempre e consumir. Ela quer mais.

Como mulher, ela diz que nunca passou por dificuldades na área profissional. No campo amoroso, foi ao contrário. “Muitos foram o homens que tentaram me apequenar e é por isso que eles não estão do meu lado”, diz.

Sobre as disparidades entre gêneros no mercado de trabalho e vida social, ela acredita que é um problema de anos e que estamos em uma fase de transição. Lembra que viemos de uma sociedade paternalista, em que o homem dava os comandos e a mulher apenas cuidava da casa e dos filhos. Situação que mudou, principalmente nas grandes guerras, em que as mulheres eram convocadas a trabalhar. Mas segundo ela, a cultura continua a mesma, ainda que a situação seja diferente.

“Essas mesmas mulheres continuaram educando homens pra viver no modelo antigo. O homem do modelo antigo não ajuda em casa, ele acha que ajuda a mulher com as tarefas do lar. As tarefas são do lar, a educação é das crianças. Então a responsabilidade é do casal”, explica. É claro que, segundo ela, há diferenças entre o universo masculino e o feminino, ainda assim, a mulher trabalha, inclusive com dor.

Na política, ela vê que ainda há o que ser conquistado no que se refere a representação. Mas acha também que as coisas devem mudar, ainda que muitos não acreditem e se abstenham de participar. Para ela, é fundamental que qualquer pessoa, independente de profissão, esteja envolvida e saiba o que é discutido.

Ambiciosa, Renata não espera as coisas aconteceram, ela estabelece metas para conseguir o que quer. “O que nos faz chegar aonde nós pretendemos é automotivação, é enxergar um propósito. Quando eu vejo um propósito no que faço, eu consigo chegar aonde eu quero e passar”, conclui.

Endereço do escritório: Rua França, 230, Nações (Fazenda Rio Grande).

Por: Dayanne Wozhiak

Continuar lendo

Artigos Relacionados

Loading...
Close