Gilberto Dranka responde a novo processo, dessa vez por disparo de arma de fogo em repartição pública

Por: Dayanne Wozhiak

O ex-prefeito de Piên Gilberto Dranka foi chamado novamente à delegacia de Rio Negro para responder pelo crime de disparo de arma de fogo em prédio público. Preso por suposto envolvimento no assassinato do prefeito eleito Loir Deveck, Dranka aguarda o julgamento, quanto a esse novo caso, que será na próxima sexta (29).

O crime teria acontecido após as eleições na cidade, antes mesmo da morte de Loir Deveck. Segundo testemunhas, Dranka se desentendeu com o servidor público e candidato a vereador de partido de oposição ao seu, Adriano Oliveira, levando uma arma de fogo à boca da vítima.

A confusão ocorreu em uma das salas do executivo, quando Adriano comemorava a vitória de sua coligação. Pelas informações, Dranka não gostou do que viu e teria prometido tirar a situação a limpo no dia seguinte.

Segundo relato de outro funcionário público, o acusado foi até a sala de Adriano, que trabalhava na informática, e fez ameaças, encostando a arma na boca do funcionário. O disparo, porém, foi dado em outra sala, após o fim da confusão.

De acordo com o advogado Dr. Evandro Krachinski, esse é um crime menor diante do envolvimento no assassinato de Loir e a prisão seria apenas preventiva, até o julgamento definitivo. Não existe fiança para o crime, de modo que ele poderia sair da prisão e responder ao processo em liberdade, se já não estivesse preso por outro motivo. Crimes como esse, segundo Krachinski, são pagos com serviço comunitário, multas etc.

O julgamento com relação ao disparo no prédio é na próxima sexta (29), em Rio Negro, onde o Jornal O Repórter se fará presente para dar informações quanto ao resultado final dessa história.