Eleitoral de Piên vem para a Fazenda: decisão foi dada oficialmente pelo TRE

 

Piên agora será, oficialmente, atendido pela zona eleitoral de Fazenda Rio Grande. A determinação dada na última segunda-feira (2) pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) estipulou, entre outras medidas, a extinção de 16 zonas eleitorais, o que a justiça entende como favorável aos eleitores.

Para o cartório eleitoral de Fazenda Rio Grande, porém, a situação ficará difícil. “Nós achamos que a qualidade do atendimento vai cair”, comentou a chefe do local, Roberta Jurask Bueno de Paula, quando questionada sobre o assunto. A zona eleitoral que já atende, além da sede Fazenda Rio Grande, também Mandirituba e Agudos do Sul, receberá 11 mil eleitores a mais, com o mesmo quadro de funcionários.

A única mudança, segundo a chefe de cartório, é com relação a transferência de Piên. A questão dos servidores ainda não foi informada. Tanto que, para conseguir realizar as transferências, o cartório anunciou que não fará atendimentos ao público entre os dias 28 de outubro e 3 de novembro, fechando para conseguir realizar o trabalho interno.

Na resolução 777 de 14/08/2017, o TRE torna claro que as peculiaridades de cada zona eleitoral foram consideradas, levando em conta “informações prestadas pelos juízos Eleitorais, manifestações e audiências públicas realizadas com a comunidade local, abaixo-assinados”, o que levou à extinção das 16 zonas mencionadas e, ao fim, à contenção de 76 zonas eleitorais no Paraná.

A vinda de Piên para esse cartório se justifica pela facilidade de acesso. Fazenda Rio Grande é caminho para a capital, Curitiba, diferente de Rio Negro, onde os pienenses eram atendidos e tinham que se direcionar para o interior do estado para resolver suas questões. Foi o próprio cartório de Fazenda Rio Grande que enviou um documento ao TRE, propondo esse remanejamento. A ideia era se adequar às exigências da Resolução 23.520/2017, aprovada em 1º de junho com a intenção de cortar gastos, excluindo algumas zonas eleitorais.