AgriculturaAgudos do SulAgudos do SulCidadesDestaqueNotíciasOutrosSem categoriaÚltimas Notícias

E agora? Fumicultores reclamam de quedas de energia em Agudos

O Jornal O Repórter foi até Agudos do Sul para verificar a situação decorrente de queda de energia que vem ocasionando grandes problemas para os agricultores de fumicultura desde o meio do ano passado. Um dos afetados é o senhor Eduardo Souza Silva, que desde os 15 anos trabalha na lavoura e a pouco viu uma estufa inteira ser perdida, levando um prejuízo de quase 10 mil reais.

A vida na lavoura não é fácil, os agricultores precisam encaram as adversidades do tempo: sol, frio, chuva, vento. Além disso, o veneno do fumo pode trazer grandes riscos à saúde para estes homens. Mas apesar disso, eles precisam da fumicultura para o sustento próprio, como conta Silva.

“A única coisa que da na roça é o fumo, outra coisa a gente não consegue sobreviver da roça”.

Mas o que tem gerado dores de cabeça para o senhor Eduardo e seus companheiros de roça é a queda de energia que vem ocorrendo desde o ano passado, ocasionando perde de metade das estufas de fumo ou até mesmo uma estufa inteira.

“Por causa da queda de energia, perdi uma estufa inteira e tive um prejuízo de quase 10 mil reais. Ano passado ainda conseguimos salvar algo, mas essa última perdemos tudo”, conta.

Agricultor teve prejuízo de R$ 10 mil após quedas de energia.
Agricultor teve prejuízo de R$ 10 após quedas de energia | Foto: Jornal O Repórter

+ A primeira caneta: como começou a ser escrita a história de Fazenda Rio Grande

+ Médico e empresário Fernando Montovani fala de sua trajetória em FRG

A esperança dos agricultores agudenses é que a Companhia Paranaense de Energia (Copel) tome uma providência.

Ouvindo o outro lado, a Copel encaminhou uma nota para O Repórter explicando a situação da queda de energia na região. Confira:

“Os sistemas elétricos da região de Agudos do Sul tem sido atingidos por sucessivas tempestades nas últimas semanas, causando interrupções no fornecimento de energia acima da média em comparação a outros períodos do ano, sobretudo nas áreas rurais.
As redes elétricas são aéreas e ficam expostas aos efeitos dos ventos fortes e dos raios. O atendimento a situações de emergência torna-se mais complexo e demorado nessas regiões onde há danos físicos na rede, como cabos rompidos, postes quebrados e transformadores queimados. Em tais situações, a Companhia não tem condições de garantir fornecimento sem interrupção e nem restabelecer o sistema no tempo ideal que atenda às expectativas de todos os segmentos rurais.
Para consumidores que desejam registrar reclamações ou pedidos de ressarcimento, a Copel dispõe de canais de atendimento através do telefone 0800 51 00 116 ou na Agência Virtual, disponível no site copel.com. Os casos de pedido de ressarcimento são analisados caso a caso.
A instalação de geradores de energia seria uma alternativa a ser considerada pelos produtores para minimizar eventuais prejuízos econômicos em ocasiões mais críticas, como a das tempestades. Cabe ressaltar que a Copel mantém cronogramas anuais de trabalhos de inspeção e manutenção na região para sempre melhorar a qualidade e a confiabilidade dos serviços”.

 

Por: Riana Carvalho
Continuar lendo

Artigos Relacionados

Loading...