Chico Santos é inocentado pelo TSE

Da redação

No mês de abril de 2013, o prefeito eleito de Fazenda Rio Grande, com 68,85% dos votos válidos, Francisco Luiz dos Santos, o popular Chico Santos (PSDB) e a vice Ana Lúcia Pacheco de Andrade (PSD), foram afastados do cargo. Na oportunidade, no entendimento do TRE foi de que ficou comprovado o excesso de exemplares de um material “jornalístico” a favor de Santos, que estava em campanha à prefeito. Foi aceito o argumento da Coligação Força do Povo, adversária de Santos nas eleições, de que a tiragem de 30 mil jornais em uma cidade de 60 mil eleitores era excessiva. Com o desligamento de Santos, a prefeitura foi administrada por todo mandato pelo presidente do Legislativo, Márcio Wozniack, que no ano passado, foi eleito legitimamente prefeito do município.

Em quatro anos e cinco meses, foram muitas audiências, a maioria no Tribunal Superior Eleitoral, em Brasília. Chico Santos sofreu um desgaste muito grande, pois procurava provar sua inocência. O tempo passou e na quinta-feira, da semana passada, em nova audiência, os ministros decidiram inocentar Chico. “Infelizmente a justiça é morosa e não pude administrar a prefeitura. Agradeço a Deus por ter tido a oportunidade de provar minha inocência e lamentar por aqueles que tramaram contra minha pessoa. Apesar de tudo, não tenho mágoas do grupo que me tirou o poder. Sempre andei de cabeça erguida, pois sabia que nada devia e que foi feito um complô para me deixar de fora. Agora é pensar no futuro. O que passou, ficou”, sintetizou Chico Santos.

Chico faz questão de ressaltar que foi condenado apenas em primeira instância. Antes do processo seguir à Brasília, passou por análise do presidente do juizado de segundo grau (TRE), em Curitiba, onde foi feita a certificação sobre o recurso, que chegou a corte superior. Antes que o procedimento fosse encaminhado à corte superior, houve a entrada de recursos, o que travou o processo no TRE do Paraná. “Foi um desgaste muito grande, pois não foi fácil acompanhar os julgamentos e ver que os ministros não tinham argumentos suficientes para me incriminar. Mas o tempo de Deus chegou e estou inocentado”, comenta.

Francisco Luiz dos Santos, atualmente coordenador do escritório regional do governo do Estado da Coordenadoria da Região Metropolitana do Litoral faz questão de ressaltar que, agora, inocentado, quer continuar trabalhando por ações em cidades da RMC e Litoral e que o futuro político ainda não está decidido. “Tenho que cumprir minhas tarefas como coordenador, órgão ligado ao governo estadual e o grupo está cumprindo a tarefa de bem administrar Fazenda Rio Grande. Em relação a disputa pela prefeitura, ainda é cedo para tocar neste assunto, mas sou do partido e se for indicado, estarei à disposição. A única coisa que desejo para a nossa cidade é que o desenvolvimento continue acontecendo. O município fazendense vem crescendo e precisa se organizar para receber novos moradores, mais empresas, infraestrutura nos bairros, enfim as obras devem continuar acontecendo em benefício da população. Vamos fazer o agora para pensar no amanhã. Agradeço a todos que estiveram ao meu lado neste tempo de luta provando minha inocência e fico feliz em receber o carinho da população, que nunca me abandonou. Mesmo estando fora da prefeitura, procurei ajudar a cidade de uma forma ou de outra. Vida que segue. Vamos em frente pela nossa gente”, finaliza Chico Santos.