CidadesDestaqueEspecialQuitandinhaQuitandinhaÚltimas Notícias

Bebê apressadinho nasce a caminho do hospital, com ambulância em movimento

Mais um final feliz para uma família da região. Na última quarta-feira (12), socorristas foram acionados pelo Hospital de Quitandinha para fazer o transporte de uma gestante em trabalho de parto, até o Hospital Mater Dei, em Curitiba. No meio do caminho, o bebê apressadinho acabou nascendo.

A socorrista Isadora Aparecida Fernandes Kaspchach conta que eles foram acionados por volta das 7h30. A gestante estava com 39 semanas e a bolsa já tinha rompido, com perda de líquido e 2 de dilatação. Até então, segundo a socorrista, ela estava com pouca dor, mas começou a ter contrações antes de chegar em Curitiba. Com kit parto na ambulância, eles não acharam que o bebê poderia nascer, mas estavam preparados.

bebê apressadinho nasce a caminho do hospital
Foto: Divulgação Facebook

“Quando chegou na Linha Verde, ela começou a ter contrações mais seguidas e bastante dor. Pelas proximidades da PUC, o bebê coroou. Estávamos quase chegando no Mater Dei e o bebê nasceu”, lembra a socorrista.

Segundo Isadora, foi tudo muito rápido e ela acabou fazendo o parto sozinha, com a ambulância em movimento, porque mal teve tempo de avisar o motorista.

+ Banda Escola do Município de Fazenda Rio Grande é motivo de orgulho

+ 36 duplas vão correr na Lotopé de Agudos do Sul

“Não teve como segurar, ele nasceu dentro da ambulância, em movimento mesmo, foi muito rápido. Eu realizei o parto, cortei o cordão. Ficou tudo bem com a mãe, com a criança. A gente entregou ele pro doutor responsável lá no Mater Dei e eles estão lá internados, acho que hoje ou amanhã eles ganham alta já”, conta.

Joaquim nasceu com 4 kg e bem de saúde. Chorou logo que saiu de dentro da barriga da mãe, segundo Isadora. Para ela, que está acostumada a lidar com acidentes e tragédias, que tem que estar preparada pra todo tipo de situação, foi, porém, uma emoção única.

“Não tem muito como explicar, é uma sensação única. A gente tá aqui pra ajudar e agradece a Deus por poder ajudar, por poder fazer a diferença na vida das pessoas. A gente é acostumado a lidar com morte, com tristeza, então é diferente lidar com a vinda de alguém ao mundo”, diz, lembrando que está ainda mais feliz por eles estarem bem.

Por: Dayanne Wozhiak

Continuar lendo

Artigos Relacionados

Loading...
Close